Quem sou eu

Minha foto

Numa busca interior, descobri em Cristo a unificação universal com o cosmo, assim como Jesus afirma ser ele e o pai um único ser(João 10.30), descobri que somos um tambem com o criador, alguns o chamam de "Arquiteto do universo", outros de "Mente criadora", eu prefiro chamar apenas de "Pai", pois o Genesis não diz que Deus parou para pensar no que ia fazer, e pelo que sei é isso que um arquiteto faz, ele pensa, planeja, calcula, mas Deus apenas disse e aconteceu como falou, creio no poder da palavra, e sei que mudanças poderosas podem ocorrer coforme o que você pronuncia, você pode ter uma vida de sucesso falando coisas boas ou uma vida penosa e sofredora falando palavras malditas, que tendemos a chamar de palavrões. Desejo poder iluminar sua vida com o que for postado nesse bloger, e que a paz do Senhor Jesus, que é a mais profunda a se desejar, superabunde em seu ser e dê o despertar cósmico de sua consciência que você tanto deseja

domingo, 30 de junho de 2013

O fim da defesa do casamento natural nos EUA, o que será do Brasil?

Primeiramente, quero parabenizar o Brasil por essa linda vitória em solo brasileiro em cima da tão temida Espanha. Mas o que venho tratar essa noite é algo muito importante e sério, pois em decisão histórica, o Supremo Tribunal dos EUA deu nesta semana(26 de junho de 2013) dois veredictos contra a família natural. Em resposta às exigências dos supremacistas gays, a Lei de Defesa do Casamento foi invalidada na proteção que dava ao casamento natural contra a ideologia do “casamento” gay. O Supremo Tribunal declarou que é inconstitucional a lei federal defender que “casamento é somente entre um homem e uma mulher.”
O que virá depois? Uma decisão dizendo que é inconstitucional o casamento somente entre seres humanos, abrindo as portas para outras aberrações?
A outra decisão foi derrubar uma iniciativa, aprovada pelo povo da Califórnia, que impedia o supremacismo gay de desfigurar e mutilar o casamento natural com sua cópia pirata de casamento.

Barack Obama, presidente dos EUA, imediatamente expressou sua euforia com a vitória gay obtida no mais elevado tribunal dos EUA. Obama disse:
“A decisão contra a Lei de Defesa do Casamento é um avanço histórico para a igualdade do casamento.”
Obama também telefonou aos principais ativistas gays envolvidos na derrota do casamento natural na lei federal americana, parabenizando-os.
A alegria de Hollywood

Hollywood, que sempre esteve na vanguarda da promoção de aberrações comportamentais, reagiu com alegria à decisão do tribunal americano, conforme reportagem da Associated Press.
* “Dia histórico,” disse Leonardo DiCaprio.
* “Permanecemos no alto hoje. A lei de Defesa do Casamento foi derrubada. Muitos lutaram por muito tempo. Orgulhem-se: o preconceito agora é minoria,” disse Lady Gaga.
* “Hoje, celebramos,” disse Cyndi Lauper.
Em pronunciamento oficial, Obama disse:
“Aplaudo a decisão do Supremo Tribunal de derrubar a Lei de Defesa do Casamento, que era discriminação consagrada em lei. Tratava compromissadas duplas gays e lésbicas amorosas como uma classe separada e inferior de pessoas. O Supremo Tribunal corrigiu esse erro, e nosso país está em situação melhor por causa dessa decisão.”
Apostasia

Nada disso seria possível se a Igreja Americana não estivesse tão avançada em apostasia descarada — uma apostasia que está varrendo principalmente as igrejas protestantes históricas dos EUA. O Rev. Gary Hall, deão da Catedral Nacional de Washington, disse:
“As decisões de hoje avançam a igualdade no casamento civil, mas deveriam servir como uma chamada para os cristãos abraçarem a igualdade do casamento. Inúmeros cristãos fieis estão vivendo suas vidas em relacionamentos homossexuais compromissados, e temos visto os frutos de sua fidelidade em nossas famílias, nossas congregações e nossas comunidades. Se usarmos este momento histórico para ver com mais clareza como a fidelidade deles contribui para o bem comum, teremos condições melhores de caminhar com nossas irmãs e irmãos LGBT como um ato de fé cristã.”
Em contraste, Billy Graham sempre cita uma declaração de sua esposa: “Se Deus não castigar os Estados Unidos, Ele terá de pedir perdão para Sodoma e Gomorra.”
Com a decisão de hoje do Supremo Tribunal dos EUA, já não dá para saber a diferença entre Sodoma e EUA.
O dono do Supremo Tribunal dos EUA

Quando li a manchete(Julio Severo) do noticiário americano hoje de manhã, fiquei chocado. Fiquei também muito triste com esse gigantesco passo de decadência.
Minha esposa, que não tinha lido a notícia, havia também acordado muito triste e somente mais tarde me contou que teve um sonho, onde ela viu um prédio como um templo. Quando ela me descreveu o prédio, pude entender que era o prédio do Supremo Tribunal dos EUA. Mostrei a ela a foto desse prédio, e era realmente isso. Ela viu Satanás enorme ali dentro, sendo adorado pelos juízes americanos e outros que trabalham naquele lugar. Ela viu Satanás tão grande quanto o próprio templo do Supremo Tribunal, espumando ódio por todas as pessoas que adoram Jesus Cristo.
Ela viu os adoradores de Jesus, os quais tinham uma pequena sala para oração naquele prédio, muito tristes e temendo pelo que ainda poderá vir, pois Satanás, que ela viu como dono de todo o espaço no Supremo Tribunal, queria adotar mais medidas para perseguir os cristãos. A derrubada da Lei da Defesa do Casamento é só o primeiro passo do dono do Supremo Tribunal.
Angústia de líderes conservadores

Essa derrubada trouxe reações angustiadas da liderança conservadora dos EUA:
* “Sentimo-nos devastados que o Supremo Tribunal tenha sucumbido às pressões políticas votando para enfraquecer a instituição sagrada [do casamento]. Negligenciaram nossos filhos muitíssimo preciosos que precisam de uma mãe e um pai unidos em casamento para desenvolvimento saudável.” — Rev. William Owens, presidente da Coalizão de Pastores Afro-Americanos.
* “Estamos profundamente entristecidos com a decisão de hoje de não só permitir, mas incentivar o casamento de mesmo sexo em nosso país — um país que foi fundado em princípios bíblicos. Choramos pelo futuro dos EUA.” — Tim Wildmon, presidente da Associação da Família Americana.
A Lei de Defesa do Casamento havia sido aprovada na década de 1990 para deter o avanço dos militantes do “casamento” gay. A lei federal especificamente declarava que o casamento era somente entre um homem e uma mulher.
Com a derrubada dessa defesa exclusiva do casamento natural, agora toda defesa do casamento deverá incluir também as duplas gays.
As consequências para o Brasil e outros países

Como a decisão do Supremo Tribunal dos EUA afetará o Brasil e outros países?
Os EUA são hoje a única superpotência do mundo, e estão priorizando as questões homossexuais na sua sociedade e em suas políticas externas.
A prioridade do Departamento de Estado dos EUA, desde dois anos atrás, tem sido promover e defender os chamados direitos homossexuais.
Um grupo pró-família dos EUA produziu no ano passado um vídeo denunciando o imperialismo homossexual que vem especialmente através do governo americano. O vídeo, que está aqui (http://youtu.be/HbjAFUGQ3Xg), mostra que as nações que não se submetem ao imperialismo homossexual imposto pelos EUA acabam vítimas da truculência americana, perdendo ajuda necessária.
A política da chantagem americana para os países pobres hoje é aceitarem a agenda gay por um prato de comida ou remédios.
A pressão psicológica desse imperialismo vem principalmente de Hollywood, que é a maior máquina de propaganda do mundo, inteiramente a serviço da agenda gay.
A luta dos cristãos pró-família será agora mais difícil, pois ao igualar casamento natural com o “casamento” gay, os EUA estão agora liderando, como superpotência que são, o enfraquecimento da família natural em todos os países sob sua influência cultural e financeira.
Se lutarmos contra militantes gays que usam crianças de escolas públicas para promover propaganda homossexual, eles poderão facilmente se defender dizendo: “Estamos apenas defendendo a família. Esqueceu que até os EUA agora oficialmente dizem que ‘casamento’ gay é casamento normal? Somos iguais. Atacar a agenda gay agora é atacar a família.”
Bem-vindo ao mundo recriado conforme a imagem e semelhança do imperialismo homossexual patrocinado pelos EUA.
A decisão do Supremo Tribunal dos EUA hoje é motivo de farras anais para os que querem destruir a família natural, mas é luto para as famílias do mundo inteiro.

sexta-feira, 28 de junho de 2013

É hora de vigiar e orar. Cantor Cristão do hino 162

Bem de manhã, embora o céu sereno,
Pareça um dia calmo anunciar.
Vigia e ora, o coração pequeno, um temporal pode abrigar!

Bem de manhã e sem cessar, vigiar e orar.

Ao meio dia e quando os sons da terra,
Abafam mais de Deus a voz de amor.
Recorre à oração evita a guerra, e goza paz com o Senhor!

Bem de manhã e sem cessar, vigiar e orar.

Do dia ao fim, após os teus lidares,
Relembra as bênçãos do celeste amor.
E conta a Deus prazeres e pezares, deixando em Suas mãos a dor!

Bem de manhã e sem cessar, vigiar e orar.

E sem cessar, vigia a cada instante,
Que o inimigo ataca sem parar.
Só com Jesus em comunhão constante é que o fiel vai triunfar!

Bem de manhã e sem cessar, vigiar e orar.


Sophia Zuberbuehler (1833-1893)
Alfredo R.da Silva (1870-1950)
Arranjo adap.e sequência mid: AFDahmen

domingo, 23 de junho de 2013

Em defesa do dia do Senhor

Aos cristãos judaizantes ou adventistas, ou sabatistas. Paz do Senhor. Quero agradecer a Deus pela oportunidade de poder começar a semana em suas primeiras horas adorando a ele em sua casa. Pena que os crentes de hoje estão perdendo esse costume, e em especial os pentecostais, pois ou trocaram o culto de domingo de manhã pela EBD, ou só se reúnem a noite, e o pior, fazem uma consagração no sábado pela manhã, dando a impressão de que o sábado é mais importante do que o domingo, dando também a entender que a lei é superior à graça e ao sacrifício feito por Jesus na Cruz, pois ele venceu a morte no domingo, os cristão se reuniam para cultuar nesse dia onde o diabo e a morte e o inferno foram derrotados. Deus merece o melhor, o primeiro lugar, não o último, as primeiras horas da semana, não as últimas. Espero que o amado compreenda, fico triste por ter que comentar isso que a cerca de cinco ou dez anos seria normal para qualquer cristão, sei que alguns se sentirão afrontados outros me odiaram, mas a verdade tem que ser dita, e, é por isso que tem tantos fracos e doentes entre nós.

sábado é considerado o sexto dia da semana com o sábado e o domingo como fim de semana, sendo assim na maioria dos calendários em todo o mundo.4
1° dia 2° dia 3° dia 4° dia 5° dia 6° dia último dia
Segunda-feira Terça-feira Quarta-feira Quinta-feira Sexta-feira Sábado Domingo
A palavra sábado deriva do latim sabbatum, que por sua vez deriva do Shabat hebraico (שבת, transliterado como shabāt), que designa o dia de descanso entre os judeus e alguns grupos de cristãos, principalmente os adventistas.

A palavra é originária do latim dies Dominicus, que significa "dia do Senhor". Existe, nessa mesma acepção, em castelhano (Domingo), italiano (Domenica), francês (Dimanche) e em todas as línguas de origem latina.
Povos pagãos antigos reverenciavam seus deuses dedicando este dia ao astro Sol o que originou outras denominações para este dia, em inglês diz-se Sunday, e no alemão Sonntag, com o significado de "Dia do Sol".
Inácio de Antioquia, considerado pai da igreja, por ter vivido até o ano cento e sete, foi discípulo do apostolo João, o mesmo que andou com Jesus e ficou preso na ilha de Patmos. Inácio, que era bispo em Antioquia, disse: “Aqueles que viviam segundo a ordem antiga das coisas, voltaram-se para a nova esperança, não mais observando o sábado, mas sim o domingo, que é o dia do Senhor, no qual a nossa vida foi abençoada, por ele e por sua morte.” Ele disse isso em sua carta aos Magnésios 09.01.
Justino (em latim: Flavius Iustinus ou Iustinus Martir), também conhecido como Justino Mártir ou Justino de Nablus (100 - 165) foi umteólogo do século II. Justino foi introduzido na fé diretamente por um velho homem que o envolveu numa discussão sobre problemas filosóficos e então lhe falou sobre Jesus. Ele falou a Justino sobre os profetas que vieram antes dos filósofos, ele disse, e que falou "como confiável testemunha da verdade". Eles profetizaram a vinda de Cristo e suas profecias se cumpriram em Jesus. Justino disse depois que "meu espírito foi imediatamente posto no fogo e uma afeição pelos profetas e para aqueles que são amigos de Cristo, tomaram conta de mim; enquanto ponderava nestas palavras, descobri que a sua era a única filosofia segura e útil". Justino "se consagrou totalmente a expansão e defesa da religião cristã".
O Dia do culto dos cristãos[editar]
Justino afirma que os cristãos guardavam como dia sagrado a Deus o Domingo, pois foi neste dia que Jesus Cristo ressuscitou dos mortos:
“Reunimo-nos todos no dia do Sol [o primeiro dia da semana era denominado de dia de Sol no Império Romano até o século IV], não só porque foi o primeiro dia em que Deus, transformando as trevas e a matéria, criou o mundo, mas também porque neste mesmo dia Jesus Cristo, nosso Salvador, ressuscitou dos mortos. Crucificaram-no na véspera do dia de Saturno; e no dia seguinte a este, ou seja, no dia do Sol, aparecendo aos seus apóstolos e discípulos, ensinou-lhes tudo o que também nós vos propusemos como digno de consideração” (Justino I – Apologia Cap. 66-67 : PG 6,427 - 431).
Descrição do culto dos cristãos[editar]
“No chamado dia do Sol, reúnem-se em um mesmo lugar todos os que moram nas cidades ou nos campos. Lêem-se as memórias dos apóstolos ou os escritos dosprofetas, na medida em que o tempo permite. Terminada a leitura, aquele que preside toma a palavra para aconselhar e exortar os presentes à imitação de tão sublimes ensinamentos.
Depois, levantamo-nos todos juntos e elevamos as nossas preces; como já dissemos acima, ao acabarmos de orar, apresentam-se pão, vinho e água. Então o que preside eleva ao céu, com todo o seu fervor, preces e ações de graças, e o povo aclama: Amém. Em seguida, faz-se entre os presentes a distribuição e a partilha dos alimentos

sexta-feira, 21 de junho de 2013

Cristianismo X Religião

Significado de Religião

Religião segundo o dicionário bíblico significa: religar, unir - Do latim Re-ligare "religar" com o divino. No dicionário da Língua Portuguesa significa: culto prestado à divindade; ordem religiosa; sistema religioso.

Significado de Cristianismo

Cristianismo significa: religião monoteísta baseada na vida e nos ensinamentos de Jesus Cristo. Cristão significa: Seguidor de Cristo (At 11:26).

1ª) A religião foi formada por homens:
_ Busismo= Buda ou Siddhartha Gautama
_ Islanismo= Maomé
_ Espiritismo= Alan Kardec...

O cristianismo foi formada pelo próprio Deus encarnado:
"No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.
Ele estava no princípio com Deus.
Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez.
Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens."
João 1:1-4

"As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu conheço-as, e elas me seguem;
E dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará da minha mão.
Meu Pai, que mas deu, é maior do que todos; e ninguém pode arrebatá-las da mão de meu Pai.
Eu e o Pai somos um."
João 10:27-30

"Olhai, pois, por vós, e por todo o rebanho sobre que o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele resgatou com seu próprio sangue."
Atos 20:28

2º) A religião precisa de amuletos, coisas palpaveis para proteção. O amuleto do cristão está no próprio coração dele:
"Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus."
Mateus 5.08

"Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim."
João 14:1

"E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito;
Falando entre vós em salmos, e hinos, e cânticos espirituais; cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração."
Efésios 5:18-19

3ª) A religião oprime e escraviza, dando uma série de regras e leis. Tem que fazer isso ou aquilo, não pode isso ou aquilo. Cristo já escreveu toda a lei na tábua do coração daquele que nele crê:
"Porque já é manifesto que vós sois a carta de Cristo, ministrada por nós, e escrita, não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo, não em tábuas de pedra, mas nas tábuas de carne do coração."
2 Coríntios 3:3

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Terapia de reorientação sexual

A “terapia de reorientação sexual”, ou “de conversão”, ou “reparativa” ou ainda “cura gay”, são métodos que visam eliminar a orientação sexual homossexual de um individuo. O homossexualismo sempre foi tido como uma patologia, até que em mil novecentos e noventa a oms resolveu tirar de sua lista de doenças mentais.
Hoje, homens de Deus como o deputado federal e pastor Marcos Feliciano, que conseguiu a aprovação do fim dessa emenda, caso o leitor não saiba do que se trata, mostrarei a seguir:
“Art. 2º - Os psicólogos deverão contribuir, com seu conhecimento, para uma reflexão sobre o preconceito e o desaparecimento de discriminações e estigmatizações contra aqueles que apresentam comportamentos ou práticas homoeróticas;
Art. 3º - os psicólogos não exercerão qualquer ação que favoreça a patologização de comportamentos ou práticas homoeróticas, nem adotarão ação coercitiva tendente a orientar homossexuais para tratamentos não solicitados;
Parágrafo único - Os psicólogos não colaborarão com eventos e serviços que proponham tratamento e cura das homossexualidades;”
Portanto, acredito terrível a pessoa querer ser normal e o governo proibir o profissional de tratar o paciente de tal patologia. O leitor pode alegar que o gay não é doente. Nem tudo que é tratado num consultório pode ser considerado uma doença. Uma pessoa que fala alto pode recorrer a um profissional para reverter qualquer hábito, quer dizer, qualquer hábito que não seja a homossexualidade, senão o CFP irá cassar o registro do psicólogo.
Em segundo lugar A PDL 234 é fundamental por que ela assegura o direito dos cidadãos gays de poderem tratar suas sexualidade. Se um hétero deseja deixar de ter comportamentos héteros, pode recorrer a um psicólogo, mas a decisão do Conselho Federal de Psicologia proíbe um gay de ter sua sexualidade tratada por um psicólogo. Sendo assim, é criado um mecanismo para que um homossexual deixe de gozar de um direito que é permitido aos héteros.
Por favor deputados, façam valer sua luta pelos direitos humanos e não tirem o direito de homossexuais viverem conforme a sua escolha. Se um homossexual quer deixar de ser gay, esse é um direito dele e deve ser respeitado. Não cabe ao Estado proibir um gay de ser gay, ou de tentar ser hétero, ou até mesmo de ser enrustido. A vontade de todos deve ser respeitada para que possam determinar o rumo de suas vidas.
Nenhum Conselho de Psicologia de nenhum país desenvolvido ameaça ou cassa o registro de um psicólogo atender um paciente, que, por sua própria vontade, quiser ser tratado. Ao se intrometer na relação do paciente e do psicólogo, o CFP adotou uma postura autoritária que fere os direitos profissionais dos psicólogos.
Uma pessoa pode procurar um psicólogo para tratar de qualquer nuance de sua personalidade, inclusive sua sexualidade. Se o paciente quiser deixar de ser sadomasoquista, pode ser atendido. Se ele quiser deixar de ser podófilo, pode ser atendido. Enfim, qualquer nuance da sexualidade humana pode ser tratada por um psicólogo, mas a decisão do CFP cassa os registros dos profissionais que tratarem da homossexualidade. Por que motivo apenas a homossexualidade tem o privilégio de não poder ser tratada? Será que a única conduta sexual que deve ser intocável é a homossexual?
Todos sabemos que vivemos numa sociedade heteronormativa. Muitos gays são muito felizes sendo gays, mas existem outros que não são, às vezes por aceitação, por fatores psicológicos ou sociais. Sendo assim, muitos acabam tendo vontade de amenizarem suas pulsões homossexuais para se adequarem ao meio em que vivem e sofrerem menos preconceito. De acordo com a decisão do CFP, esse tipo de homossexual não poderá recorrer aos serviços de um psicólogo para tratar de sua demanda.
A proibição nunca acaba com a procura. É evidente que essa medida facista de cercear os direitos profissionais e o direito de escolha dos gays não irá diminuir a vontade de muitos homossexuais de deixarem a homossexualidade. Como o CFP dificultará a vida desses homossexuais, muitos deles irão ser obrigados a recorrer a religiões, onde irão na esperança de serem “exorcizados”. O único resultado dessa decisão do CFP é humilhar homossexuais, obrigando-os a recorrerem a pseudo-psicólogos sem registro, que evidentemente não possuirão condições para tratá-los.
Existem casos de pessoas relatam que conseguiram deixar a homossexualidade. Instituições americanas que tratam a homossexualidade relatam que cerca de 30% das pessoas que os procuram conseguem obter resultados, pelo menos por algum período. Se um heterossexual pode deixar de ser heterossexual, por que um homossexual não poderia deixar de ser homossexual? Por acaso a homossexualidade é algo santo para que, ao contrário da heterossexualidade, não possa ser mudada ou revertida?
Pensem numa pessoa que se descobre homossexual. Ex: um padre. Imagine todos os problemas que a homossexualidade poderia oferecer a um padre honesto. Imagine que ele, desesperado, resolva procurar a ajuda de um psicólogo. Segundo a decisão do CFP, o psicólogo que aceitar tratá-lo perderá o registro. Imagine que um psicólogo evangélico aceite esse paciente. Esse psicólogo perderá sua forma de sustento apenas por aceitar tratar um paciente que o procura para tratar sua sexualidade.
Art. 4º – Os psicólogos não se pronunciarão, nem participarão de pronunciamentos públicos, nos meios de comunicação de massa, de modo a reforçar os preconceitos sociais existentes em relação aos homossexuais como portadores de qualquer desordem psíquica.”
O que diabos é isso? Isso é uma censura escancarada por parte do CFP. Quer dizer que um psicólogo agora não vai poder expressar sua opinião, pois qualquer coisa que for tida como “homofóbica” – mesmo que não seja – irá cassar seu registro. ABAIXO A DITADURA! VIVA A LIBERDADE DE EXPRESSÃO!

Amor( adaptação da letra do hino 380 do Cantor Cristão)

O que enfeita essa vida, Não é o amor?
O que concede alegria, não é o amor?
O amor é benigno, é paciente, não se torna maldizente, e é meigo.

O doce amor não é alcançado através de suspeitas,
Não existe amor onde existe desconfiança
Precisamos ser tolerantes, pois a arrogância
Murcha e mata o amor.

Ainda que precise pagar muito caro Alimente o amor
A pessoa irada e furiosa, Precisamos mostrar o amor.
Nunca deixe se sentir insultado, mas seja agradável
E vence pelo amor.

Quanto ao seu vizinho, demonstra o amor,
O amor que não é mesquinho,
Pois o supremo Deus nos ama, e Cristo para os céus nos chama,
Um lugar onde realmente reina o amor.

essa letra precisa ser conhecida por nossos dias, devido a profundidade a que ela expressa

sábado, 15 de junho de 2013

O mundo está doente

Quando criança ouvi alguém dizer que Deus havia feito o homem e a mulher, daí veio o diabo e criou o gay e a lesbica, e pelo visto conseguiu convencer muita gente que isso é normal. Tenho saudades dos tempos onde a preocupação dos homens de Deus era somente em orientar o casal a esperar pelo matrimônio para ter suas relações, orientar os rapazes a serem menos violentos e as meninas a serem mais comportadas. Hoje, além disso os pastores precisam se preocupar em falar de homossexualismo, pois o governo conseguiu provar aos "pensadores" que o anormal é ser contra tal atitude, pois afinal de contas, o corpo é da pessoa e ela faz o que quer com ele. O que poucos sabem é do interesse por tras disso. Pois quanto mais pessoas gays e a sociedade tratando como normal, acarretaria menos filhos, menos problemas, visto que os gays, que não podem procriar, seria, num futuro proximo, menos pessoas nascidas, logo, menos gente na terra, logo menos boca para alimentar, mas, se esquecem que poderia ser o fim da raça humana.
o golpe agora está nas crianças, visto que eles sabem que fazendo a mente delas é mais fácil de conseguir alcançar isso no futuro muito mais facilmente. Já vimos a influencia na escola , onde se obrigam meninas a brincarem com brinquedos de meninos, e agora a influencia está na TV, onde um menino encontra um anel que o transforma em uma menina poderosa, nem precisa dizer que é na verdade uma tentativa de mostrar o que os gays insistem em afirmar, que são mulheres presas em corpos de homens ou vice- versa. já na abertura do desenho mostra isso, e no fim mostra o menino travestido no meio de um outro garoto e uma menina, deixando clara às crianças que devem conviver naturalmente com pessoas que querem viver dessa forma. Em outro tempo, isso levaria a cadeia ou até a morte.
“O país escandinavo lutou para fomentar a cultura da identidade de gênero, e qualquer propaganda considerada sexista irá enfrentar punições legais, ou até mesmo sofrer a ira dos suecos”.
Alinhado a isso, as escolas foram pressionadas a quebrar os estereótipos sexuais, um pronome de gênero neutro foi introduzido, pronunciado “hen” (em vez “han”, ele, e “hon”, ela), e os pais estão sendo encorajados a dar nomes masculinos às suas filhas e nomes femininos aos filhos. Não estou brincando não.
Nos EUA, já em 2006, o New York Times noticiou que “na escola Park Day School em Oakland [Califórnia], os professores aprendem um vocabulário neutro e são cobrados para enfileirar os estudantes pelo critério da cor do calçado em vez do sexo”. “Tomamos o cuidado de não criar uma situação em que os estudantes sejam tolhidos”, afirma Tom Little, diretor da escola. “Permitimos que os estudantes escolham livremente até encontrarem algo que lhes pareça bom”.
No ano passado na Alemanha, Nils Pickert, aclamado como o “pai do ano”, foi celebrado por “vestir roupas femininas (inclusive fazendo as unhas) para ajudar seu filho de 5 anos se sentir à vontade para usar vestidos e saias”.
E a revista alemã Emma noticiou que a história teve um “final feliz”, conforme explicou Pickert, “E o que o garotinho está fazendo agora? Pintando as unhas. Ele acha que fica bonito nas minhas unhas também. Ele simplesmente sorri quando outros meninos (e são quase sempre meninos) querem tirar sarro dele, e responde: ‘Vocês só não têm coragem de vestir saias e vestidos porque seus pais também não têm’. Esse é o nível de liberalidade ao qual ele já chegou. E tudo graças ao papai de saia”.
Solidariedade dos pais é uma coisa. Contribuir para a confusão de um garotinho é outra.
E há também o dia da “troca de sexos” (“gender-bender") nas escolas americanas, já desde o primário, em que as crianças são encorajadas a ir para a escola vestidas do sexo oposto.
Será muito forçado sugerir que esse tipo de atitudes e atividades contribuíram para a crescente confusão de gênero vista entre as crianças de hoje em dia? E será coincidência que, após anos de pressão de grupos transgêneros, a Sociedade Psiquiátrica Americana agora está removendo o “transtorno de identidade de gênero” do seu Manual Diagnóstico e Estatístico de Desordens Mentais (DSM-5)?
E assim, em vez de ter compaixão pelas crianças e pelos adultos que sofrem com sua identidade de gênero e investir os recursos necessários para tentar entender a causa do seu sofrimento, e em vez de reconhecer que muitas crianças passam por todo tipo de fase e que os pais não deveriam estimulá-la, estamos sendo influenciados a abraçar o transgenerismo; ou melhor, celebrá-lo.
Para colocar em um contexto, algumas escolas utilizam a Escala de Homofobia de Riddle, batizada em homenagem ao Dr. Dorothy Riddle, que lista os quatro “Níveis Homofóbicos de Atitude” e quatro “Níveis Positivos de Atitude”.
Listados na categoria homofóbica estão: 1) repulsa, 2) pena, 3) tolerância e 4) aceitação. (Isso mesmo: “Tolerância" e “aceitação” agora são considerados homofóbicos). Listados na categoria positiva estão: 5) apoio, 6) admiração, 7) apreciação e 8) promoção. Em outras palavras, nossos filhos em idade escolar devem ter uma atitude de apoio, admiração, apreciação e cultivo em relação ao homossexualismo; senão serão homofóbicos.
Os ativistas LGBT simplesmente acrescentaram “transgênero” à mistura, a última causa a ser apoiada, admirada, apreciada, promovida e celebrada. Você pode dizer, “Shezow”?

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Santo Antônio

Esse homem fantástico da idade media nasceu em Lisboa, possivelmente em 15 de agosto de 1195. Sendo, no inicio agostiniano, mas depois a convite do próprio fundado Francisco, passou a ser em 1221, parte do capitólio geral da ordem de Assis. Era um homem muito estudioso, pois além de teólogo, era místico, asceta, orador e grande taumaturgo. Esse homem morreu em 13 de junho de 1231, e no ano seguinte foi canonizado, mas nunca ressuscitou.
Antônio foi muito importante para o cristianismo de sua época, deve ser estudado e respeitado como um cristão e um bom exemplo de disciplina e fé, mas só, o homem morreu jovem com no máximo quarenta anos, sem conhecer o amor, mas tido por muitos como o “santo casamenteiro”, mas santo mesmo só Jesus, só ele é digno de honra, glória e louvor. Antônio, Maria, Paulo, Jorge ou qualquer outro, foram apenas homens ou mulheres que se deixaram usar por Deus, nada além disso, e cabe a nós orientar o povo da verdade. “Seja conhecido de vós todos, e de todo o povo de Israel, que em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, aquele a quem vós crucificastes e a quem Deus ressuscitou dentre os mortos, em nome desse é que este está são diante de vós.
Ele é a pedra que foi rejeitada por vós, os edificadores, a qual foi posta por cabeça de esquina.
E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos. Atos 4:10-12”

Marcha pela Família reúne 100 mil pessoas em Brasília

Antes do evento, mídia secular apostava um público de apenas 30 mil pessoas, mas no dia a aglomeração foi muito maior, conforme apontou Portal Fé em Jesus
“Esse nosso evento é um ensaio, um exercício de cidadania. Não somos cidadãos de segunda classe, vamos influenciar a nação,” disse o Pr. Silas Malafaia com entusiasmo a uma multidão estimada em mais de 100 mil pessoas, de acordo com o Portal Fé em Jesus.
A multidão, composta de gente simples, ordeira e pacata, estava ali reunida para atender ao chamado do pastor assembleiano, que havia em seus programas de TV e mídias convocado os evangélicos e brasileiros pró-família para um manifesto público em defesa da família, da vida e das liberdades de expressão e religião na tarde de quinta-feira (5 de maio) em Brasília.
A manifestação foi o primeiro grande ato contra a resolução ditatorial do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) obrigando os cartórios de registro a fazer “casamentos” gays.
O deputado João Campos (PSDB-GO), ex-presidente da Frente Parlamentar Evangélica, disse que o evento foi necessário porque o PT está tentando colocar uma mordaça na imprensa, ao pretender impor controles na mídia, especialmente as mídias cristãs. “O Estado laico não é o religioso nem o antirreligioso. É o que garante a liberdade de crença,” disse ele.
Outro alvo da manifestação foi a ameaça do PLC 122, que transforma em crime toda crítica às práticas homossexuais. A manifestação se tornou mais necessária, pois apenas um dia antes da Marcha pela Família, Renan Calheiros (PDMB-AL), o presidente do Senado, afirmou que, com ou sem consenso, vai fazer com que o Senado priorize a aprovação do PLC 122.
Teria tentado Calheiros, cuja eleição para presidente do Senado foi marcada pela exposição de seus escândalos políticos, afrontar a manifestação pró-família?
Calheiro não é o único que vê com maus olhos iniciativas em favor da família. A mídia esquerdista brasileira, que adora inflar os números das paradas gays, fez tudo o que pôde para pintar, para seus espectadores, um quadro de pequenez para a Marcha pela Família.
De acordo com denúncia do Portal Fé em Jesus, o CorreioWeb anunciou 8 mil pessoas, mas depois corrigiu. O Estadão também optou por apresentar um número murcho para o evento.
O Congresso Em Foco, que é a coroa da mídia pró-PT no Congresso Nacional, apostou em apenas 30 mil pessoas, numa reportagem que não conseguiu esconder seu azedume por um evento de protesto contra o aborto, contra o “casamento” gay e contra o ditatorial PLC 122.
Anos atrás, ao tratar da Marcha para Jesus, o Congresso Em Foco retratou o evento como igual à Parada Gay, como se ambas as passeatas fossem marcadas por farras, bebedeiras, violência e sexo anal. Mas na hora de entrar na questão dos números, a igualdade foi zero. O veículo pró-sodomia fez questão de atribuir números estratosféricos às paradas gays. A Marcha para Jesus ou a Marcha pela Família? O Congresso Em Foco não viu e, mesmo antes de ver, já pode garantir: foi pequena.
A realidade da força desses eventos ou os sentimentos pró-família do povo brasileiro pouco mexem com o senso do Congresso em Foco em particular ou da grande mídia geralmente. Eles preferem, mesmo de olhos vendados e antes do evento, afirmar que uma parada gay teve 3 ou 4 milhões de participantes. Para todo o resto, especialmente para o povo que está vendo, eles são completamente cegos.
Num artigo sobre comportamento homossexual, feito com sua notória parcialidade designada para produzir nos leitores reações de apoio às causas gays, o Congresso Em Foco se deparou com um fato inédito em seus anos de propaganda esquerdista: os leitores manifestaram seus sentimentos pró-família discordando da descarada propaganda pró-homossexualismo. O artigo acabou se tornando, até aquela ocasião, o mais comentado de Congresso Em Foco, que não teve outro recurso se não acusar seus próprios leitores de “homofobia.”
É muito difícil praticar jornalismo honesto no Brasil. Mas é fácil, em cargos políticos ou jornalísticos, adulterar dados, números, estatísticas e fatos, com apenas uma canetada maliciosa, em favor de agendas destrutivas, como a agenda gay, e em desfavor dos sentimentos da maioria do povo brasileiro, que é pró-família.
Tais sentimentos não são respeitados nem mesmo quando são manifestos por seus próprios leitores e eleitores.
O Congresso Em Foco preferiria, é claro, passeatas evangélicas mais alinhadas com os objetivos da ONU. Elas existem, mas não foi o que aconteceu no evento em Brasília.
O fato é que o povo compareceu em massa à Marcha pela Família em Brasília. Sua mensagem foi clara: Queremos vida, não morte nem aborto. Queremos família, não falsificações grosseiras, inclusive o “casamento” gay. Queremos liberdade, não opressão.
Um recado poderoso foi passado aos políticos e à mídia: com ou sem canetadas maliciosas, o povo está de olho e vai lutar pela família.
Com informações do Portal Fé em Jesus e do Congresso Em Foco.

sexta-feira, 7 de junho de 2013

O Que estão fazendo com nossas crianças?

Por que os chamados educadores e pedagogos estão tão interessados em que crianças de 3 e 4 anos estejam longe dos pais e perto deles nas escolas? Por que o governo está tão ansioso de obrigar crianças de 4 anos a ir para a escola?
Essa e outras perguntas são respondidas por uma matéria do jornal Estado de S. Paulo, que teve todo o cuidado de não criticar o intervencionismo abusivo de professores infantis que se julgam deuses. A matéria diz:
No salão de cabeleireiro de mentirinha, João Pontes, de quatro anos, penteia a professora, usa o secador no cabelo de uma coleguinha e maquia a outra, concentradíssimo na função. Menos de cinco minutos depois, João está do outro lado da sala, em um round de luta com o colega Artur Bomfim, de cinco anos, que há pouco brincava de casinha.
Nos cantos da brincadeira do Colégio Equipe, na zona oeste de São Paulo, não há brinquedo de menino ou de menina. Todos os alunos da educação infantil — com idade entre três e cinco anos — transitam da boneca ao carrinho sem nenhuma cerimônia.

A coordenadora pedagógica de Educação Infantil do Equipe, Luciana Gamero, explica: “Acreditamos que, ao não fazer essa distinção de gênero, ajudamos a derrubar essa dicotomia entre o que é tarefa de mulher e o que é atividade de homem.”
Essa atividade curricular da educação infantil é adotada por um grupo de escolas que acredita que a escola é o espaço apropriado para quebrar os papéis tradicionais de homem e mulher. Eles promovem uma infância sem o que eles chamam de “estereótipos de gênero” — masculino e feminino —, a fim de construir uma nova sociedade onde é fundamental a total desconstrução do papel tradicional do homem.
A diretora pedagógica do Colégio Sidarta, Claudia Cristina Siqueira Silva, afirma:
—Temos uma civilização ainda muito firmada na questão do gênero e isso se manifesta de forma sutil. Quando uma mulher está grávida, se ela não sabe o sexo da criança, compra tudo amarelinho ou verde. Nesse contexto, a tendência é de que a criança, desde pequena, reproduza a visão de que menino não usa cor-de-rosa e menina não gosta de azul.
No Colégio Santa Maria, num jogo de futebol, os meninos estavam brincando apenas entre eles. Nesse momento, os pedagogos interviram, para introduzir as meninas no jogo. Orientadora da pré-escola da instituição, Cássia Aparecida José Oliveira, conta: “Explicamos que não deveria ser assim e começamos a propor, por exemplo, que os meninos fossem os cozinheiros de uma das brincadeiras.”
Na oficina de pintura, todos foram convidados a usar só lápis cor-de-rosa — convite recusado por alguns.
A pedagoga afirmou que nesse ponto muitos meninos dizem: “Eu não vou brincar disso porque meu pai diz que não é coisa de menino.”
A medida da pedagoga é convocar os pais para mostrar que eles não devem ficar chocados, mas aceitar meninos no balé e meninas no futebol. Se eles não aceitam, a pedagoga explica que se todos não combatemos os preconceitos, “criamos uma sociedade machista e homofóbica.”
O Estado de S. Paulo, sem criticar em nenhum momento o abuso psicológico contra as crianças, diz que essas escolas enfrentam um embate árduo e precisam de “perseverança.” Sua matéria termina mencionando o Colégio Equipe, onde meninos e meninas brincam todos de cabeleireiro e o escritório — tudo para desconstruir um mundo chamado pelos pedagogos de “machista” e “homofóbico.”
Anos atrás, vi fotos de um menino vestido de menina e brincando de boneca. A mãe, provavelmente ansiando muito ter uma menina, colocou o garoto contra a natureza. Ele acabou se tornando o principal ativista gay do Brasil e se gaba de ter dormido com mais de 500 homens.
É isso o que os pedagogos e novas escolas querem para os meninos do Brasil?
Com informações do Estado de S. Paulo.

FACEBOOK, PODE CONFIAR!!!


O criador do Facebook, Mark Zuckerberg, afirmou na tarde desta sexta-feira que a rede social nunca concedeu acesso direto dos seus servidores ao governo americano. A polêmica surgiu quando o jornal britânico "The Guardian" denunciou na quinta-feitra que o serviço de inteligência dos EUA está coletando registros dos telefones de milhões de americanos, além de ter acesso irrestrito aos dados pessoais de sites como Facebook, Google e Apple.

Não é de hoje que denuncias envolvendo o site sobre dados pessoais serem usados pelos "governos" vem sendo difundidas, mas segundo o dono do facebook, isso não acontece.

Segundo o jornal, o governo americano coleta dados como histórico e conteúdo de e-mail a partir de um programa chamado Prism. Mark Zuckerberg afirmou, no entanto, desconhecer totalmente o programa. " O Facebook nunca participou de nenhum programa que dê acesso as informações dos usuários para governo americano. Nós também nunca tínhamos ouvido falar do Prism até ontem", declarou o milionário.
Mark também anunciou que a política da rede social é de sempre lutar pela privacidade dos usuários. "Quando os governos pedem informações do Facebook, nos analisamos cada pedido com muita cautela e só entregamos os dados se formos requisitados por lei", declarou. A denúncia do "The Guardian" gerou, no entanto, um grande debate sobre privacidade em todo o mundo.

O jornal anunciou que o acesso aos dados dos usuários só foi possível porque o ex- presidente George W. Bush alterou a lei de vigilância americana após os ataques terroristas de 11 de setembro. Em dezembro do ano passado, Barack Obama ratificou a lei.

Mark Zuckerberg terminou sua nota pedindo trasparência aos governos em relação ao programa e segurança dos usuários. "Essa é a única maneira de proteger as liberdades civis e ter uma sociedade livre e segura", finalizou.

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Porque não sou a favor de gays criarem crianças

Muitos dizem que um gay pode criar um filho com os mesmos cuidados que um hetero, até concordaria se o mesmo não estivesse sob o domínio do pecado. O perigo não esta no fato da pessoa ser ou não gay, e sim estar ou não sob o domínio do pecado, pois o pecado leva a morte, e em poucas palavras pecar é deixar com que a carne comande nossa vida, e o homossexual, nada mais é do que um homem ou mulher que não aceita o que Deus fez e o que é natural: Homem e mulher. Uma mãe, Para passar dias com namorada, deixa menino de 7 anos trancado em casa sozinho. Poderia acontecer com qualquer mãe sob domínio do pecado, viciada, prostituta, entre outras, mas nesse caso que conto a seguir foi com uma mulher que é mãe, mas que passou a pensar tanto nela mesma e no seu terrivel egoísmo, que acabou por abandonar o seu filho.

Pela grade de uma pequena casa, em Rio das Pedras, Jacarepaguá, o menino D., de 7 anos, acompanhava assustado a movimentação do lado de fora.

Os olhinhos arregalados viram vizinhos, policiais da Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (DCAV) e um chaveiro acionado pela polícia para abrir a porta de ferro do imóvel, segunda-feira.

Mesmo confuso, o menino entendeu que estava, finalmente, sendo resgatado do cativeiro imposto quatro dias antes por sua própria mãe. Cleidiana Maria Cardiais da Silva, 33, deixou o filho trancado em casa, sozinho, e foi passar o feriado prolongado com a namorada.
A polícia foi acionada pelo Disque 100. Segundo o delegado Marcello Braga Maia, durante os quatro dias, o pequeno D. se alimentava só uma vez por dia, com alimentos dados por vizinhos através da grade.

“Ali não tem como passar um prato de comida, só pães e refresco. Aparentemente, ele não estava desnutrido, mas não sabemos se tomou banhou ou dormiu”, contou o policial.

Após o resgate, às 15h30 de segunda, o menino foi levado para a delegacia, que acionou o Conselho Tutelar. Ele foi alimentado e contou que a mãe o deixara em casa às 12h30 de quinta-feira e não voltara mais.

A guarda provisória da criança e de um irmão de 13 anos que foi levado com a mãe durante o feriado foi entregue ao pai.

Cleidiana foi indiciada por maus tratos, abandono de incapaz e material, crimes com penas de 1 ano e seis meses a 8 anos de prisão. A criança vai ter o apoio de psicólogos. Vizinhos também vão depor no inquérito aberto na DCAV.

Hábito de deixar o filho abandonado

Intimada, Cleidiana compareceu à delegacia no dia seguinte. Contou que foi para Quintino e deu R$ 50 para uma vizinha — que mora lá há um mês e conhece só pelo apelido de tia — para cuidar do menino. À polícia, a vizinha de 70 anos alegou ter dito que não teria condições de cuidar de D.

“A mãe demonstrou frieza e nenhum arrependimento. Disse que sempre o deixa trancado quando está de folga e vai para festas. Ela trabalha como garçonete de madrugada e tem o hábito de deixar os filhos sozinhos e trancados”, contou o delegado.
http://odia.ig.com.br/noticia/rio-de-janeiro/2013-06-06/cativeiro-imposto-pela-mae.html

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Roubo que vira sucesso

A coluna descobriu um surpreendente esquema de fraudes para alavancar o número de visualizações de vídeos de artistas no YouTube e “criar” hits na internet. O especialista na fraude, que se identificou como Magalhães, ofereceu seus serviços por telefone sem saber que do outro lado da linha estava este colunista que vos escreve e que se passou por assessor de um artista. A conversa foi gravada e nela Magalhães revelou que os maiores sucessos do mundo sertanejo no YouTube têm o seu dedo.


Ele revelou que existe uma ferramenta automática para promover o aumento de visualizações por meio de acessos em celulares, mas que o esquema deixa evidente a fraude. “De 1 milhão de acessos, 950 mil são via mobile (celular). Eu prefiro trabalhar com geração de acessos reais”, diz ele, explicando, em seguida, que possui inúmeras contas em diversas redes sociais e que essa é uma das maneiras de burlar a vigilância do YouTube. “Consigo cliques indicados pelo Twitter, pelo UOL, pelo Facebook…”.

A precaução se deve ao fato de o YouTube saber a origem de cada usuário antes mesmo dele assistir a um vídeo. Se todos os usuários vêm de apenas um canal ou plataforma (somente do Twitter ou do Facebook, por exemplo), a fraude fica evidente. Magalhães cobra mais caro que o sistema automático, mas garante segurança. “O mobile cobra R$ 3 mil por 1 milhão de visualizações. Eu cobro R$ 7.500,00. Mas se o sistema deles cai, eu cobro mais caro”.

Ao perceber o interesse deste colunista na contratação do serviço, Magalhães apresentou seus casos de sucesso. Citou Gusttavo Lima, Luan Santana — “já fechei com o DVD dele que vai ser lançado” —, Munhoz & Mariano e Gabriel Gava, da música ‘Fiorino’. Todos no gênero sertanejo. Magalhães, porém, quer aumentar seu mercado. “Estou tentando falar com o escritório do Naldo. Hoje, eu consigo ganhar o prêmio Multishow com qualquer artista”, diz ele, referindo-se à categoria voto popular da premiação.

A coluna entrou em contato com a assessoria do YouTube no Brasil. A empresa, que pertence ao Google, disse que leva a sério qualquer abuso contra o seu sistema, como “a tentativa de inflar artificialmente o número de visualizações de vídeos” e toma medidas que incluem a exclusão de suas contas no YouTube. E continua: “O YouTube usa diversas tecnologias desenvolvidas especialmente para prevenir o aumento artificial de visualizações de vídeos por spambots, malware e qualquer outro meio”. Tudo indica que não está dando certo…

Postado por: Leo Dias
http://blogs.odia.ig.com.br/leodias/2013/06/02/sertanejos-pagam-r-75-mil-a-cada-1-milhao-de-visualizacoes-no-site/

domingo, 2 de junho de 2013

Como ensinar economia para as crianças?

Crianças e jovens descobrem em sala de aula como lidar com dinheiro

AURÉLIO GIMENEZ
Rio - Milhares de crianças e jovens em todo o país praticam, como um mantra, as perguntas: “Eu preciso ter?”, “Eu preciso comprar?” e “Esse é o melhor momento para comprar?”. Eles fazem parte de um grande contingente que, desde 2012, tem a educação financeira como disciplina nas salas de aula e entende que poupar e consumir com consciência também se aprende na escola.

Gestora do Centro Educacional Santa Thereza, em São João do Meriti, na Baixada Fluminense, Cristina Loureiro diz que adotou a matéria ao perceber que diversos colegas dos seus filhos, já em idade universitária, se encontram endividados por não usar adequadamente o dinheiro: “Boa parte dos jovens não é ensinada a administrar corretamente os recursos. Há uma cultura, muito envolvente, do consumo. Então, resolvemos adotar a educação financeira para semear e colher no futuro”.
Segundo Cristina, em poucos meses os resultados começam a aparecer. “Em casa, os menores explicam aos pais a importância de apagar a luz ou economizar água. Na cantina, os mais jovens já pensam antes de sair comprando tudo. Passam a guardar o dinheiro para ter algo melhor depois”, pontua a professora do Santa Thereza, que adotou o programa DSOP de Educação Financeira, empresa que dissemina o consumo consciente.
“Educação financeira nada mais é do que comportamento e mudança de hábitos. É necessário pensar em objetivos a curto, médio e longo prazos. E, principalmente, não se faz sozinho, tem que envolver toda a família”, diz Adenias Filho, franqueado da DSOP no Rio.
Para o diretor da Escola Técnica de Guaratiba, Wellington Eloy o conhecimento da gestão financeira é fundamental para as famílias planejarem melhor o futuro. “Considero que o consumo consciente se insere na consciência ecológica dos quatro ‘erres’ — reduzir, repensar, reciclar e reutilizar”, ressalta o professor ao defender as três perguntas lá de cima: “Introduzimos a mudança de comportamento e reflexão antes da decisão por uma compra”.

NA PONTA DO LÁPIS

ÁRVORE DOS SONHOS
Estratégia do Itaú-Unibanco para levar o conhecimento e a importância da educação financeira para as crianças. O material didático é composto por livro infantil de autoria de Fabiano Alves Onça e arte de Tatiana Paiva que fala sobre como economizar e se preparar para o fututo por meio do menino Joãozinho e seu avô Pereira.

ESTABILIDADE
Superintendente de Sustentabilidade do Itaú-Unibanco, a economista Denise Hills destaca que a educação financeira, hoje, faz parte da agenda de todas as instituições financeiras. “É um assunto recente, que começou a surgir com a estabilidade da economia no país. Antes, no período inflacionário, o recomendado é que se gastasse o mais rápido possível, para o dinheiro não perder valor”, explica.

NA PRÁTICA
Mas como fazer uma criança a aprender a usar o dinheiro? De acordo com o guia ‘Como falar de dinheiro com as crianças’, produzido pelo Itaú-Unibanco, já desde os três de idade é possível iniciar os conceitos do uso planejado do dinheiro. Pode-se pedir para a criança ajudar a fazer a lista do supermercado e deixá-las responsáveis pela verificação da necessidade de compra de alguns produtos. Na escola, pode-se pedir para fazer cartazes que discriminem os produtos que consumimos porque ‘queremos’ daqueles que ‘precisamos’, estimulando a discussão sobre prioridades de cada um. Encartes de supermercados são uma excelente fonte de recortes para atividades e discussão para o planejamento financeiro dentro das salas de aula.
NOVA CLASSE MÉDIA
O conhecimento do uso consciente do dinheiro se estende para toda a família, principalmente a grande massa de 40 milhões de pessoas que ascenderam à classe média nos últimos anos. A opinião é da diretora de Relações Corporativa da Visa do Brasil, Sabrina Sciama. Para isso, a empresa dispõe de uma série de ferramentas de assessoramento.
VINGADORES
Um desses instrumentos é uma parceria da Visa com a Marvel Comics, que gerou um gibi com os personagens Vingadores (Homem de Aranha, Homem de Ferro, Thor, Hulk e Viúva Negra), que ensinam a educação financeira para as crianças. “Além do gibi, também produzimos uma peça teatral que é levada às escolas e para organizações não governamentais. É um trabalho de formiguinha diante um longo caminho de ensinamento”, destaca Sabrina.

BATE-BOLA FINANCEIRO
Dentro do Programa Finanças Práticas, a Visa do Brasil também possui u um jogo online de futebol, que ensina de maneira simples e divertida os conceitos básicos de educação financeira para crianças, jovens e até mesmo adultos. Para marcar um gol, o jogador tem que responder uma série de perguntas sobre poupança, consumo responsável, orçamento e uso consciente do crédito e do dinheiro.

VALOR DO DINHEIRO
Denise Hills, superintendente de Sustentabilidade do Itaú-Unibanco, diz que as crianças são sempre curiosas em relação ao dinheiro. Assim, sempre que possível, os pais devem procurar pagar as compras com cédulas e moedas. A atenção que os adultos dão ao troco, conferindo a quantia, demonstra para as crianças, concretamente, que os pais dão valor ao dinheiro.

PAGAMENTO EM CHEQUE
Nos casos em que o pagamento for feito com cheque, os pais devem ressaltar a diferença de uso em relação ao dinheiro, deixando que a criança observe o preenchimento da folha e do canhoto. Quando for usado o cartão de débito ou de crédito, os adultos devem assegurar-se de que os filhos estejam atentos ao funcionamento da máquina e ao recibo de compra. Os mesmo vale para o uso e a operação dos caixas eletrônicos.
http://odia.ig.com.br/noticia/economia/2013-06-02/poupar-se-aprende-na-escola.html