Quem sou eu

Minha foto

Numa busca interior, descobri em Cristo a unificação universal com o cosmo, assim como Jesus afirma ser ele e o pai um único ser(João 10.30), descobri que somos um tambem com o criador, alguns o chamam de "Arquiteto do universo", outros de "Mente criadora", eu prefiro chamar apenas de "Pai", pois o Genesis não diz que Deus parou para pensar no que ia fazer, e pelo que sei é isso que um arquiteto faz, ele pensa, planeja, calcula, mas Deus apenas disse e aconteceu como falou, creio no poder da palavra, e sei que mudanças poderosas podem ocorrer coforme o que você pronuncia, você pode ter uma vida de sucesso falando coisas boas ou uma vida penosa e sofredora falando palavras malditas, que tendemos a chamar de palavrões. Desejo poder iluminar sua vida com o que for postado nesse bloger, e que a paz do Senhor Jesus, que é a mais profunda a se desejar, superabunde em seu ser e dê o despertar cósmico de sua consciência que você tanto deseja

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Injustiça feita pelos jesuitas ao meu antepassado

Quero aqui homenagear e ao mesmo tempo denunciar um crime cometido ao meu antepassado Jorge Lopes da Costa, que era pessoa influente na cidade do Salvador, onde exerceu funções, como procurador da Câmara, tesoureiro da Misericórdia e procurador da Condessa de Linhares (filha de Mem de Sá).
Filha de Mem de Sá (c. 1506-1572), 3.º Governador do Brasil, D. Filipa foi condessa de Linhares, por casamento com D. Fernando de Noronha (†1608). Viúva e sobrevivendo a seus filhos, D. Filipa de Sá deixa como herdeira universal de todos os seus bens e rendas, herdados de seu pai e do conde seu marido, a Companhia de Jesus, para construção da igreja do colégio de Santo Antão-o-Novo em Lisboa, cuja capela-mor destinou em testamento para seu panteão.
Os bens móveis de D. Filipa, avaliados no total em mais de 3 milhões de reis, foram arrolados pelos Jesuítas em inventários da fazenda, prata e ouro, e livros, compreendendo cada um 211, 88 e 30 entradas, respectivamente, que revertem em cerca de 1.000 espécimes. A presente comunicação pretende dar a conhecer este importante documento, até à data inédito, as suas características e o contexto em que foi produzido.
O universo dos espécimes inventariados é, na sua grande maioria, constituído por objectos enquadráveis na categoria das Artes Decorativas: mobiliário, têxteis, porcelanas, ourivesaria. São especialmente significativas as indicações sobre tipologias, proveniências e valores que integram a descrição dos items. ‘Feitos na terra’, vindos de paragens europeias ou d’além-mar, o conjunto dos bens materiais da Condessa de Linhares reflecte o acumular de riqueza e o aparato social, com particularidades muito próprias, de uma casa da principal nobreza de Corte, no espaço português do final de Quinhentos e início de Seiscentos.
No entanto, Jorge Lopes da Costa, foi acusado de ser judaizante pela Inquisição em 1633 e 1645, Por ser este o único impecilho dos jesuítas de roubarem os bens de D. Filipa. Espero deixar aqui meus sinceros agradecimentos a esse heroi anônimo do passado, e minha total repulssa por esses ladrões, assassinos e deturpadores dos jesuitas, e espero que o Senhor Jesus faça justiça por todos aqueles que sofreram e sofrem injustiça vinda por esses malvados atores e dominadores, que fingem ser bonzinhos, mas são demônios disfarçados de uma falsa santidade.

http://www.chap-apha.com/pdf/sessoes_simultaneas/SS3_C5.pdf

http://batistacavalcante.blogspot.com.br/2010/02/dados-historicos-da-familia-costa.html

O inferno

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Motorista de ônibus escolar é demitido por orar pela segurança de seus passageiros

O motorista George Nathaniel, de 49 anos, trabalhava em ônibus escolares no distrito escolar de Burnsville-Eagan-Savage, na cidade norte americana de Minneapolis, porém foi recentemente demitido porque fazia orações pela segurança de seus passageiros no início de cada viagem para levar grupos de crianças à escola.

Nathaniel, que é também pastor evangélico, estava em seu segundo ano no cargo quando recebeu uma advertência para que não mais orasse com seus passageiros após uma denúncia a respeito de suas orações, tendo, inclusive, suas rotas de trabalhos mudadas por causa disso. Porém, ele continuou a realizar as orações, e acabou sendo demitido.

Ele considera sua demissão uma violação da sua liberdade de expressão, e afirma que não é certo “demitir um motorista por orar pela segurança das crianças”.

- Começávamos com uma música. Então, eu começava a orar e perguntava quem queria se juntar a mim na oração. Quem não queria orar, eles não tinham que orar. Eu apenas dava a eles algo construtivo e positivo para ir para a escola – relatou o motorista, em entrevista ao StarTribune.

Porém, no dia 30 de outubro, Nathaniel recebeu sua carta de demissão, afirmando ter havido queixas de material religioso no ônibus e também queixas em relação ao seu desempenho profissional.

Segundo o site The Blaze, a diretora de comunicação do distrito escolar, Ruth Dunn, se recusou a comentar sobre as orações feitas pelo motorista, mas afirmou que um ônibus escolar é “uma extensão da jornada escolar, quando se refere ao comportamento dos alunos e da equipe de apoio”.

Desde 1962, a Suprema Corte dos Estados Unidos decidiu que é inconstitucional que escolas públicas incentivem orações ou outras atividades religiosas entre seus alunos. Decisões judiciais posteriores confirmaram e ampliaram a proibição de orações nas escolas incluindo também orações lideradas por representantes de escola.

O caso de Nathaniel causou uma grande repercussão e uma série de comentários tanto a favor quanto contra sua atitude de orar pelos estudantes. Sanaa Hersi, cuja família é muçulmana, é mãe de uma das crianças que eram levadas para a escola pelo motorista e disse ao StarTribune que orações cristãs “iriam confundir as crianças”, porque em sua família elas são ensinadas “a orar no caminho do Islã”.

Já Nikki Williams, cujos três filhos eram levados para a escola primária pelo motorista, afirma que a oração não o incomodava em nada, e que “se alguém está orando, as pessoas podem se incluir na oração dele ou não… os que não gostam disso podem simplesmente ignorá-lo”.


Compartilhar
Após sua demissão, Nathaniel permanece firme em sua posição, e afirma que os cristãos não devem “se esconder no armário”. Ele ressalta ainda que “se você tem alguma coisa boa, você vai compartilhá-la com alguém”.