Quem sou eu

Minha foto

Numa busca interior, descobri em Cristo a unificação universal com o cosmo, assim como Jesus afirma ser ele e o pai um único ser(João 10.30), descobri que somos um tambem com o criador, alguns o chamam de "Arquiteto do universo", outros de "Mente criadora", eu prefiro chamar apenas de "Pai", pois o Genesis não diz que Deus parou para pensar no que ia fazer, e pelo que sei é isso que um arquiteto faz, ele pensa, planeja, calcula, mas Deus apenas disse e aconteceu como falou, creio no poder da palavra, e sei que mudanças poderosas podem ocorrer coforme o que você pronuncia, você pode ter uma vida de sucesso falando coisas boas ou uma vida penosa e sofredora falando palavras malditas, que tendemos a chamar de palavrões. Desejo poder iluminar sua vida com o que for postado nesse bloger, e que a paz do Senhor Jesus, que é a mais profunda a se desejar, superabunde em seu ser e dê o despertar cósmico de sua consciência que você tanto deseja

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Podem os mortos se comunicar com os vivos?, Artigo do Pastor e teologo JUANRIBE PAGLIARIN

Um casal de Porto Alegre, ainda muito apaixonado, resolveu comemorar as Bodas de Prata na mesma pousada no litoral do Ceará onde, 25 anos antes, havia passado a lua-de-mel. Porém a esposa, por motivo de trabalho, não poderia ir no mesmo dia que o marido. Mas combinaram que ele a buscaria no aeroporto de Fortaleza, na sexta feira. Despediram-se com um longo beijo no Aeroporto Salgado Filho e o esposo embarcou rumo ao Ceará, prometendo à esposa que prepararia tudo para a sua chegada.

No Aeroporto de Fortaleza, o marido alugou um carro e seguiu para aquela distante e romântica pousada, na praia da Lagoinha. Mas, ao chegar, teve uma agradável surpresa: a antes rústica pousada estava agora toda modernizada. Tinha até internet! O marido pediu que colocassem todas as suas malas no quarto do chalezinho e riu de si mesmo, com todas aquelas roupas de frio que havia trazido. "Como está quente aqui", pensou.

Ansioso, foi para o computador, e enviou um e-mail para a esposa. Mas, na hora de digitar, trocou uma letrinha e o
seu e-mail, ao invés de ir para a esposa, foi para uma viúva que voltava do cemitério, após sepultar o seu marido. Quando a viúva leu o e-mail, desmaiou. O filho a acudiu depressa e ela, voltando aos pouquinhos, balbuciou, quase sem ar, e com os olhos arregalados de medo: “meu e-mail... meu e-mail.”
O filho olhou para a tela do computador e leu:

“Minha querida: cheguei bem! Talvez você esteja estranhando eu te mandar um e-mail. É que instalaram computadores aqui também e agora podemos nos comunicar com as pessoas queridas em qualquer lugar do mundo. Já verifiquei tudo pessoalmente e a sua chegada está confirmada para esta sexta-feira, às 3 horas da tarde. A viagem é rápida, porque é sem escalas. Você vai ter uma grande surpresa quando chegar aqui. Não vejo a hora de revê-la e ficarmos juntos outra vez!
Saudades e beijos do seu eterno marido. P.s.: Venha com pouca roupa, porque aqui faz um calor infernal”.

Risos à parte, viu como é fácil as pessoas fantasiarem e terem medo de coisas que não existem? Mas as principais perguntas que nós queremos ver respondidas são:

1- Podem os mortos se comunicar com os vivos?
2- Podem os vivos se comunicar com os mortos?
3- Podem os espíritos dos que morreram estar entre nós?
4- Podem os mortos ajudar os vivos?
5- Podem os vivos ajudar os mortos?
6- A pessoa, depois que morre, fica dormindo ou consciente?
7- Haverá Juízo Final?

Sei que as respostas de leigos e religiosos se dividirão, mas todos nós, independentemente de religião, gostaríamos de uma resposta segura, com base, autoridade e credibilidade. Precisamos de uma pessoa que já foi até lá e voltou. Uma pessoa que conheça intimamente o corpo, a alma e o espírito humano. Uma pessoa íntegra e verdadeira, que nunca mentiu e jamais mentirá.

E todas as vertentes religiosas, sejam católicas, protestantes, kardecistas e muçulmanas reconhecem Jesus como tal. Por isso, convido você a analisar, sem paixões e com racionalidade, o que Ele disse a esse respeito, pois, sem dúvida nenhuma, é a pessoa mais confiável que se tem notícia. Depois disso, tire as suas próprias conclusões. Eis o que Jesus contou:

“Ora, havia um homem rico que se vestia de púrpura e de linho finíssimo, e todos os dias se regalava esplendidamente.
Havia também um certo mendigo, chamado Lázaro, que jazia cheio de chagas à porta daquele. E desejava alimentar-se com as migalhas que caíam da mesa do rico. E os próprios cães vinham lamber-lhe as úlceras.
Veio a morrer o mendigo e foi levado pelos Anjos para o seio de Abraão. Morreu também o rico e foi sepultado.
No Hades, ergueu os olhos, estando em tormentos, e viu ao longe a Abraão e a Lázaro no seu seio. E, clamando, disse:
Pai Abraão, tem misericórdia de mim, e envia-me Lázaro, para que molhe na água a ponta do dedo e me refresque a língua, porque estou atormentado nesta chama.
Disse, porém, Abraão: Filho, lembra-te de que em tua vida recebeste os teus bens, e Lázaro, de igual modo, os males. Agora, porém, ele aqui é consolado e tu atormentado. E, além disso, está posto um grande abismo entre nós e vós, de sorte que os que quisessem passar daqui para vós não poderiam, nem os de lá passar para nós.
Disse ele então: Rogo-te, pois, ó pai, que o mandes à casa de meu pai. Porque tenho cinco irmãos, para que lhes dê testemunho, a fim de que não venham eles também para este lugar de tormento.
Disse-lhe Abraão: Eles têm Moisés e os profetas. Ouçam-nos.
Respondeu ele: Não, pai Abraão; mas, se alguém dentre os mortos for ter com eles, hão de se arrepender.
Abraão, porém, lhe disse: Se não ouvem a Moisés e aos profetas, tampouco acreditarão, ainda que ressuscite alguém dentre os mortos.” (Lucas 16:19-31)

Segundo diversos eruditos e teólogos, este caso contado por Jesus não é uma parábola e, sim, a narração de um fato real. Argumentam como prova disso que, em nenhuma de suas inúmeras parábolas, Jesus citou lugares específicos e personagens reais, com nomes definidos, como o fez aqui.

Então, gostaria de destrinchar com você, frase por frase, este caso contado por Jesus:

VEIO A MORRER O MENDIGO E FOI LEVADO PELOS ANJOS... MORREU TAMBÉM O RICO E FOI SEPULTADO
Ao contar esta história, Jesus mostrou que todos os seres humanos, ricos ou pobres, cultos ou ignorantes, sábios ou tolos, honrados ou desonrados, poderosos ou humildes, famosos ou anônimos, crentes ou ateus, todos passarão pelo mesmo Vale da Sombra da Morte. (Salmo 23:4)

NO HADES, ERGUEU OS OLHOS, ESTANDO EM TORMENTOS
Jesus mencionou aqui dois destinos: o Paraíso e o Hades. Portanto, quando uma pessoa morre, é levada para um deles.

O Hades é o lugar de tormento para onde vão os ímpios e todos os que se esquecem de Deus: “Os ímpios irão para o Seol, sim, todas as gentes que se esquecem de Deus” (Salmo 9:17). Seol é a palavra hebraica equivalente à grega Hades.

O Paraíso é um lugar de delícias e descanso, para onde vão os justificados, no mesmo dia em que morrem. Ao ladrão arrependido que morria ao seu lado, Jesus prometeu: “Ainda hoje estarás comigo no Paraíso.” (Lc 23:43)

Portanto, nenhum espírito de defunto ficará dormindo até o Juízo ou perambulando aqui na Terra.

Tanto o Paraíso como o Hades são lugares provisórios, onde os espíritos aguardam o Dia do Juízo Final.

Jesus não disse que o rico foi para o Hades só porque era rico. Afinal, o pai Abraão foi um dos homens mais ricos da Terra e o seu espírito está no Paraíso. Tampouco disse que o rico foi para o Hades porque era corrupto, ladrão ou pecador. Aquele rico foi para o Hades porque se esqueceu que tinha recebido de Deus todos os bens e, como mordomo, deveria administrá-los com prudência, responsabilidade e sagacidade, compartilhando-os com os necessitados. No entanto, egoística e injustamente, apoderou-se das riquezas alheias, pertencentes a Deus, e as gastou só para si. Relembrando as palavras de Jesus: “Se, pois, nas riquezas injustas não fostes fiéis, quem vos confiará as verdadeiras? E se no alheio não fostes fiéis, quem vos dará o que é vosso?” (Lc 16:11-12).

E por que o mendigo Lázaro foi para o Paraíso? Só por que era pobre? Ora, o Hades tem muito mais pobres do que ricos! Lázaro foi para o Paraíso porque também era mordomo e administrava com fidelidade o pouco que tinha recebido. Como sabemos disso? Pelo detalhe dos cães que vinham lamber-lhe as chagas: nenhum cão de rua faria amizade com um mendigo se não recebesse amor e carinho. E Lázaro ainda dividia com cães famélicos as poucas migalhas que conseguia.

ALÉM DISSO, ESTÁ POSTO UM GRANDE ABISMO ENTRE NÓS E VÓS
O Abismo também é um lugar temporário, habitado por espíritos caídos, lançados ali por Deus, após a rebelião no céu. Satanás e os anjos desobedientes, após a queda, tornaram-se espíritos imundos (Is 14:9,11-15, Ez 28:16). O Abismo é um local extremamente desgastante e cansativo até para um espírito e, por isso, temido pelos demônios (Mt 12:43, Lc 8:31). Com o tempo, os espíritos rebeldes aprenderam a sair dali, ainda que com muito custo (Mt 12:44). Durante o governo de Cristo na terra, Satanás será enjaulado e lançado no Abismo por mil anos (Ap 20:1-3). Após o Juízo Final, o diabo e os seus anjos serão lançados no Lago de Fogo e Enxofre (Ap 20:10), morada definitiva dos demônios.

DE SORTE QUE OS QUE QUISESSEM PASSAR DAQUI PARA VÓS NÃO PODERIAM, NEM OS DE LÁ PASSAR PARA NÓS
O Abismo, que separa o Hades do Paraíso, é intransponível. Jesus garantiu que os mortos não podem sair do Hades e passar para o Paraíso ainda que quisessem, por causa do Grande Abismo que separa os dois lugares. Qualquer afirmação que permite a transmigração entre estes dois lugares é totalmente contrária à revelação dada por Jesus. Somente o desconhecimento do Evangelho é que permite que suposições como estas prosperem. A História da Literatura Inglesa registra que, no ano de 1513, o papa Leão X, precisando de recursos para reformar a Igreja de São Pedro, mandou preparar cofres com as seguintes inscrições: “Ao som de cada moeda que cair neste cofre, uma alma desprega do purgatório e voa para o Paraíso”. Os coletores, transportando os cofres por toda a parte, apregoavam: “Quando a moeda cair no cofre tilintando, a alma do purgatório sairá voando”. Este expediente ajudou na captação de recursos, mas não teve qualquer utilidade para os mortos.

ROGO-TE, POIS, Ó PAI, QUE O MANDES À CASA DE MEU PAI
Quando o rico se deu conta de que não poderia receber ajuda para si mesmo e sair daquele lugar de tormentos, lembrou-se, com pesar, da casa de seu pai e dos cinco irmãos que ainda estavam na Terra. Então, rogou por eles a Abraão, para que fizesse Lázaro voltar e os avisasse para mudarem de vida já que, se continuassem vivendo daquela maneira, iriam terminar no mesmo lugar de tormento.

PORQUE TENHO CINCO IRMÃOS
Os mortos continuam tendo memória e se lembram de todos os seus familiares e amigos aqui na Terra. Como se constata pela resposta de Abraão, pedidos feitos pelos mortos em benefício de parentes vivos não são atendidos. Do mesmo modo, orar aqui na Terra para pedir ajuda às pessoas que já morreram, ainda que tenham sido tão exemplares e grandiosas como Abraão, não produz qualquer resultado. A Palavra de Deus diz: “Quando vos disserem: Consultai os que têm espíritos familiares e os feiticeiros, que chilreiam e murmuram, respondei: Acaso não consultará um povo a seu Deus? Acaso a favor dos vivos se consultará os mortos?” (Is 8:19). Os mortos não podem ajudar a si mesmos, muito menos aos que estão vivos.

ELES TÊM MOISÉS E OS PROFETAS: OUÇAM-NOS
Refere-se Abraão ao Antigo Testamento, já consolidado na época de Jesus, tal e qual o temos hoje. Conforme este relato, tudo o que os vivos podem receber como orientação e ajuda está na Palavra de Deus. Hoje, somos mais privilegiados ainda porque temos o próprio Senhor Jesus para nos orientar. A carta aos Hebreus diz: “Havendo Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, nestes últimos dias a nós nos falou pelo Filho, a quem constituiu Herdeiro de todas as coisas, por quem fez também o Mundo, sendo Ele o resplendor da Sua glória e a expressa Imagem do seu Ser, e sustentando todas as coisas pela Palavra do Seu Poder, havendo Ele mesmo feito a purificação dos pecados, assentou-se à direita da Majestade nas alturas” (Hb 1:1-3).

TAMPOUCO OUVIRÃO, AINDA QUE RESSUSCITE ALGUÉM DENTRE OS MORTOS
Não sendo possível aos mortos se comunicarem com os vivos (porque senão o próprio espírito do rico o teria feito), ele pede ao pai Abraão que mande Lázaro alertar seus irmãos na Terra.
O pai Abraão disse que, se eles não acreditam na Palavra, também não acreditarão ainda “que ressuscite alguém dentre os mortos”. Note que a única possibilidade de um morto vir a este mundo é através da ressurreição. Para os que ensinam que isto é impossível, temos no Evangelho a ressurreição de três mortos e a própria ressurreição do Senhor Jesus. Um morto ressuscitar é possível. Impossível é um morto falar do além com os vivos aqui na Terra. A previsão de que muitas pessoas não acreditariam nem se alguém ressuscitasse dos mortos se confirmou de maneira trágica nas últimas semanas de vida de Jesus, quando Ele ressuscitou outro Lázaro, que estava morto há quatro dias (Jo 12:9-10). Aliás, não creram nem mesmo depois da ressurreição do próprio Senhor Jesus (Jo 20:25-29). Esta profecia se confirma até aos dias de hoje, quando vemos que muitas pessoas não creem na ressurreição de Lázaro, dizendo que ele teve catalepsia, preferindo acreditar na palavra de outros espíritos ao invés de acreditarem no Espírito de Deus e nas testemunhas da época (Jo 11 e 12:9)

As pessoas, costumes e culturas mudam com o tempo e o lugar. Mas Deus não. “Ele é o mesmo ontem, hoje e eternamente” (Hb 13:8). Deus não é volúvel, tendo uma opinião diferente para cada época e público. O que Ele disse sobre consultar espíritos e os mortos continua valendo: “Entre ti não se achará quem consulte um espírito adivinhante, nem quem consulte os mortos, pois todo aquele que faz tal coisa é abominação ao SENHOR, teu Deus; e por estas abominações o SENHOR, teu Deus, as lança fora de diante de ti. Perfeito serás, como o SENHOR, teu Deus.” (Deuteronômio 18:11-13)

O único morto que você e eu podemos consultar é Jesus, porque Ele, sendo morto, ressuscitou e está vivo pelos séculos dos séculos! Ele apareceu glorificado para João, na Ilha de Patmos, e disse: “Não temas; Eu sou o Primeiro e o Último; e o que vive; fui morto, mas eis aqui estou vivo para todo o sempre. Amém! E tenho as chaves da morte e do inferno.” (Ap 1:18)

O Primeiro foi o Último a falar. Qualquer outro que veio falando depois não tem credencial para tanto, especialmente se as suas falas são conflitantes com as de Jesus.

Os descendentes de Abraão têm Moisés e os Profetas. Você tem tudo isto e ainda Jesus, porque Ele mesmo é a Palavra: “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no Princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por Ele, e sem Ele nada do que foi feito se fez.” (João 1:11-3, Ex 3:14, Pv 8:26-30, Cl 1:16, Gn 1:26)

Os espíritos podem se manifestar através de médiuns e contradizer tudo isto. Mas se contrariam o Espírito de Deus e a Palavra do Senhor Jesus, das duas, uma: ou Jesus mente ou os espíritos mentem. Quem você acha que fala a verdade? Em quem você prefere acreditar? Jesus disse que Satanás é o pai da mentira e assassino desde o princípio. Nele não há verdade alguma. Ele mente e juntamente com seus espíritos malignos fazem-se passar por pessoas falecidas. Aproveitam-se da fragilidade dos que sofrem saudades de seus entes queridos e, sem qualquer compaixão, fazem-se passar por espíritos familiares. Qual é o pai ou a mãe que não se enternece em ouvir na boca de um médium que o espírito que fala é de um filho ou uma filha que já se foi? Dão detalhes surpreendentes de pessoas queridas que morreram em acidentes, o que não é nenhuma maravilha, porque estes espíritos são testemunhas invisíveis dos fatos ocorridos. Estes maus espíritos estão em famílias há gerações e não têm nenhuma dificuldade em relatar os passados de parentes que morreram. Não acredite nestes espíritos. Acredite em Jesus: os mortos não podem se comunicar com os vivos, nem os vivos com os mortos. A Palavra de Deus diz que o ser humano é pó e ao pó voltará. E que aos seres humanos está ordenado morrerem uma única vez, vindo depois disso o Juízo (Gn 3:19, Hb 9:27). Caso a pessoa pudesse ter várias vidas, com corpos diferentes, ora de homem, ora de mulher, com qual deles compareceria ao Juízo? São teses ilógicas e sem fundamento, que não resistem ao mais simples dos raciocínios. Somente por teimosia religiosa ou interesse pessoal é que uma pessoa defende o contrário. Os doutrinadores kardecistas costumam colocar dúvidas sobre a inspiração das Escrituras pelo Espírito Santo, dizendo que são livros escritos por homens, mas fazem seus seguidores acreditarem em escritos de homens inspirados por espíritos...

Segundo o Livro do Espírito de Deus, quando chegar o Dia do Juízo, os corpos dos falecidos, que jazem no pó na terra ou nas águas dos mares, ressuscitarão para se juntarem aos seus espíritos vivos, estejam no Hades ou no Paraíso, e se apresentarão unidos diante do Grande Trono (Mt 10:28, Mt 25:31, Ap 20:11-15). Após o Juízo, receberão seus destinos definitivos: ou o Lago de Fogo e enxofre – “que é a segunda morte” (Ap 20:14-15) – ou a Vida Eterna, na presença de “Deus e do Cordeiro” (Ap 21 e 22). É claro que Deus não deseja a segunda morte de ninguém. Por isso deu o seu Filho unigênito em remissão por todos (Mt 26:26). Todos os dicionários ensinam: Remissão – perdão gracioso de uma dívida. Todo pecador é devedor. E todo pecador, se quiser, pode ser salvo graciosamente, sem merecer (Ef 2:8-9). Jesus pagou a minha e a sua dívida com a própria vida. (Is 53:10, Mt 20:28 e Mc 10:45)

A escolha que os vivos fazem aqui e agora, e o modo como vivem, é que vai determinar em que lugar eles esperarão o Juízo. “No tempo aceitável te escutei e no dia da salvação te socorri. Eis aqui agora o tempo aceitável, eis aqui agora o Dia da Salvação.” (I Co 6:2)

Sei que muitos dirão que o rei Saul invocou o espírito de Samuel, numa seção espírita. Por isso, quero que você vá no site: www.pazevida.org.br, na seção CONTEÚDOS e clique em MENSAGENS. Na relação, procure: “Saul consulta uma médium”. Ouça a mensagem e tire suas conclusões.

Os sinais operados por Jesus, bem como a Sua própria vida e ressurreição, são credenciais únicas para que você acredite Nele. O apóstolo João, discípulo que acompanhou Jesus do primeiro ao último dia, declarou que o Senhor fez muitas outras coisas na presença de Seus discípulos, mas que, devido ao grande volume de maravilhas, nem todos os livros da época bastariam para relatá-las. Escreveu ele:

“Estes, porém, foram escritos para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, TENHAIS VIDA EM SEU NOME.” (Jo 20:31).

As pessoas sem Jesus parecem vivas, mas estão mortas. Ao jovem que recebeu a ordem de segui-Lo, mas queria antes sepultar o pai, Jesus disse: “Deixa os mortos sepultar os seus próprios mortos. Tu, porém, vai e anuncia o Reino de Deus.” (Lc 9:60)

Crer em Jesus e nas Suas Palavras é passar da Morte para a Vida: “Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha Palavra e crê Naquele que me enviou tem a Vida Eterna e não entra em Juízo, mas já passou da morte para a Vida.” (Jo 5:24)

Experimente agora este milagre: receba-O como seu Único, Suficiente, Exclusivo e Eterno Salvador e o seu nome será escrito no Livro da Vida. Nunca mais você morrerá e nem entrará em condenação. (Ap 20:15)

Procure uma comunidade verdadeiramente cristã, que não explora a fé nem a ingenuidade das pessoas, e confirme publicamente a decisão que você tomou agora. Batize-se nas águas, tome regularmente a Santa Ceia e persevere até o fim (Mc 16:16, Mt 24:13, Mt 26:26).

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Jesus é Deus?

Artigo de Juanribe Pagliarin

Dois mil anos se passaram e a sua vida continua sendo um enigma perturbador para toda a humanidade. As pessoas que viveram no seu tempo, com inquietação, queriam saber: “Quem és tu?”.
Sacerdotes lhe exigiam a resposta: “Tu és o Cristo?”.
Pilatos arriscou um palpite: “Tu és rei?”
(Jo 8:25, Mc 14:61, Jo 18:37)

Hoje – como naquela época – especula-se muito sobre a sua pessoa. A questão que perdura por gerações, entre todos os povos, é: QUEM ele realmente era?

UM ENGANADOR? UM REVOLUCIONÁRIO? UM LOUCO SINCERO? UM PROFETA? UMA DIVINDADE? OU O PRÓPRIO DEUS?

Em vida, Jesus proferiu palavras de amor e perdão que ouvidos humanos jamais haviam escutado. Não apenas seus discursos arrebatavam multidões, que o ouviam com prazer, como toda a sua vida foi a personificação do amor de Deus: Amaldiçoado pelos homens, não os amaldiçoava. Perseguido, não perseguia. Xingado, não retribuía mal com mal. Espancado e torturado ao extremo, perdoava. Nunca houve e jamais haverá alguém que amasse como ele amou (Mc 2:17, 10:21,45, Lc 19:1-10, Jo 3:16).

Um revolucionário e visionário? Sim! Seus discursos, parábolas, ensinamentos e previsões atravessaram os séculos e revolucionaram não apenas pessoas, mas países inteiros.

Um louco sincero até poderia até dizer palavras bonitas e amar. Mas mudar o mundo? Se Jesus não tivesse realizado um só prodígio, ainda assim Ele seria a pessoa mais intrigante e influente de todos os tempos. Não, Jesus não era um louco bem intencionado, ainda que a sua história pareça loucura para muitos...

Um enganador? Disto ele foi acusado, até enquanto estava morto (Mt 27:63). Mas, jamais! Sua vida foi coerente com o que pregava. Pessoas que conviveram de perto com Jesus, durante três anos, dia e noite, testificaram da sua honestidade, sinceridade e pureza, chamando-o de “Santo e Justo” (Atos 3:14).

SERIA JESUS, ENTÃO, UM PROFETA?

Os milagres e prodígios de Jesus, narrados por Mateus, Marcos, Lucas e João, foram feitos diante de milhares de pessoas, que puderam provar e participar deles, fossem como testemunhas oculares, ou como beneficiadas diretas de suas curas e libertações, e até mesmo saciando a fome com pães e peixes multiplicados por Ele.

Com toda naturalidade e simplicidade, Jesus deu vista a diversos cegos, inclusive de nascença, tornou perfeita a mão ressequida de um homem, estancou o fluxo de sangue de uma mulher hemorrágica há doze anos, fez falar e ouvir um homem que era surdo-mudo, curou um rapaz que tinha ataques e sofria convulsões desde criança, curou pessoas à distância, como o filho do oficial do rei, a filha da mulher cananeia, o amigo do centurião, limpou leprosos que estavam com suas peles apodrecidas, fez andar muitos paralíticos, purificou dez leprosos com uma única palavra, um hidrópico, reimplantou a orelha cortada Malco, libertou da possessão de espíritos imundos o demoníaco da sinagoga, o endemoninhado que era cego e mudo, o endemoninhado de Gadara que habitava em sepulcros, sarou a sogra de Pedro que estava à morte, além de muitas outras coisas que Jesus fez e que se encontram relatadas nos quatro livros de Mateus, Marcos, Lucas e João, e as que não estão relatadas por falta de espaço (Jo 9, Mt 12:10, Lc 8:43, Mc 7:33, Lc 9:37, Jo 4:46, Mc 1:41, Lc 5:18, Mt 9:30, Lc 17:12, Lc 14:2, Lc 22:51, Mc 1:26, Mt 12:22, Lc 8:26, Mt 8:14, Jo 21:25).

Seus milagres foram tão reais e incontestáveis, que os líderes religiosos de então se reuniram e traçaram um plano para tirar a sua vida, pois diziam: “que estamos fazendo, uma vez que este homem opera muitos sinais? Se o deixarmos assim, todos crerão nele. Desde aquele dia, resolveram matá-lo” (Jo 11:53).

Nenhum profeta do antigo testamento, por mais poderoso que fosse, chegou a tanto. Até aquele homem, curado da cegueira, deu uma aula de coerência, dizendo: “Desde o princípio do mundo, nunca se ouviu que alguém abrisse os olhos a um cego de nascença” (Jo 9:32). Não, Jesus não era apenas mais um profeta...

SERIA JESUS, ENTÃO, UMA ESPÉCIE DE DIVINDADE?

Jesus colocou-se acima das leis de física e de química: andou cerca de cinco quilômetros sobre as águas como se fossem terra firme; conversou com o vento, o mar e até com uma árvore, que lhe obedeceram; transformou água em vinho; fez duas pescas maravilhosas em lugar que sabidamente não tinha peixe e, por duas vezes, alimentou cinco mil pessoas com apenas cinco pães e dois peixinhos e, em outra ocasião, alimentou quatro mil pessoas com sete pães e alguns peixinhos (Mt 14:26, Mc 6:49, Jo 6:19, Mt 8:26, Mc 4:35, Lc 8:22, Mt 21:19, Jo 2:9, Lc 5:6; Jo 21:6, Mt 14:15, Mt 15:32).

Seus prodígios não foram feitos à base de mágica, ilusionismo, hipnotismo, sugestão ou prestidigitação. Ele os realizou publica e instantaneamente, diante de muitas testemunhas, porque realmente tinha poder para tanto (Lc 12:54-56, Jo 3:2, 14:11).

Mas de onde vinha tal poder? Seria Ele uma espécie de divindade?

Em um debate com os fariseus, que queriam apedrejá-lo por blasfêmia, Jesus citou o Salmo 82:6, e disse: “Não está escrito na vossa lei: Eu disse: sois deuses? Ora, se a lei chama homens de deuses...”.

Jesus usou este registro bíblico para deixar bem claro que, se ele fosse “um deus”, então seria como qualquer outro ser humano, chamados de “deuses” pela própria Bíblia. Não! Jesus não era “um deus”, um subdeus, ou um deus menor, como algumas religiões ensinam...

E todos nós: judeus, gentios, católicos, espíritas, budistas, islamitas, protestantes, evangélicos, estudiosos, curiosos, queremos saber:

QUEM, AFINAL, É JESUS?

Jesus surpreendeu as pessoas ao parar um cortejo fúnebre e fazer voltar à vida o cadáver do filho único da viúva de Naim, que estava sendo levado para o cemitério. Também ressuscitou a filha única de Jairo, recém-falecida aos doze anos. Mas, o maior de todos os sinais: trouxe de volta à vida um homem de nome Lázaro, morto e sepultado há quatro dias, mesmo com o seu corpo cheirando mal e em adiantado estado de putrefação (Lc 7:11, Mt 9:18, Jo 11).

Afinal, QUEM era este que tinha poder até para ressuscitar mortos?

Seus inimigos, para difamá-Lo, diziam que Ele realizava estes sinais pelo poder de Belzebu, principal dos demônios (Mt 12:24). Mas veja a incoerência de tal afirmação: Se em toda a história bíblica nenhum homem de Deus fez o que Ele fez, então o Diabo seria mais poderoso que Deus?

Tirar a vida de uma pessoa até Satanás pode, porque “ele veio para matar, roubar e destruir”; mas CRIAR A VIDA E RESSUSCITAR MORTOS, SÓ DEUS PODE! (Jo 10:10).

Todos os sinais e prodígios operados por Jesus eram para que as pessoas cressem nas Palavras que Ele dizia. (Jo 14:11)

MAS, O QUE ELE DISSE A RESPEITO DE SI MESMO E DE NÓS?

“Vós sois de baixo, EU SOU de cima. Vós sois deste mundo, eu não sou deste mundo. Por isso vos disse que morrereis em vossos pecados: se não crerdes que EU SOU, morrereis em vossos pecados.” (João 8:23-24)

Repare: ao invés de dizer: “quem eu sou”, Ele disse: “que EU SOU”.

Para entender o que Jesus disse, temos de voltar no tempo, por volta de 1500 a.C., quando Moisés perguntou a Deus o Seu Nome, e o SENHOR respondeu:

“EU SOU O QUE SOU. Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós” (Êxodo 3:14).

No original hebraico, este nome está expresso em quatro letras: YHVH, chamado teologicamente de “o Tetragrama Sagrado”. (Também pode ser IHVH ou JHVH, porque no hebraico Y, I ou J [yod, iod, jod] representam a mesma letra. I e J são usados mais nas palavras traduzidas para o nosso idioma, como Isaías, Jesus, Iavé, Javé. O Y é empregado quando se deseja ficar mais próximo do original).

O NOME DE DEUS É O PRESENTE DO VERBO SER.
A Torá Viva, ao comentar o Nome de Deus (YHVH), diz: “O Tetragrama denota o nível onde presente, passado e futuro são o mesmo”.

Repare: os três tempos básicos em que um VERBO é conjugado.

YHVH É O VERBO! E O VERBO É YHVH (Jo 1:1)

Ao lermos o relato da Criação no Livro de Gênesis, vemos o VERBO ali, revelado na Sua própria boca: “E disse Deus: HAJA Luz” (Gn 1:3).

Entender que o VERBO é DEUS parece tão difícil quanto entender a complicada gramática portuguesa. Mas, se analisarmos mais profundamente, veremos a perfeita consonância da Gramática com a Teologia:

Em primeiro lugar, o VERBO HAJA foi empregado no sentido de existir, fazer, ocorrer, acontecer. O VERBO fez tudo existir: “Nele foram criadas todas as coisas que há nos Céus e na Terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades. Tudo foi criado por Ele e para Ele” (Cl 1:16).

O VERBO HAJA está no imperativo afirmativo. Imperativo é o modo verbal que exprime uma ordem. A Palavra diz: “Louvai-o, sol e lua; louvai-o, todas as estrelas luzentes. Louvai-o, céus dos céus, e as águas que estão sobre os céus. Que louvem o Nome do SENHOR, pois mandou e logo foram criados” (Sl 148:3-5).

Já o modo Afirmativo é aquele que afirma, confirma e concorda. O VERBO estava ali na Criação, afirmando e concordando consigo mesmo. Mais tarde, Ele mesmo nos ensinará sobre o poder criador da concordância em torno de uma afirmação: “Se dois de vós concordarem na Terra acerca de qualquer coisa que pedirem, isso lhes será feito por meu Pai, que está nos céus” (Mt 18:19).

O VERBO HAJA também pode ser conjugado no presente do subjuntivo. Subjuntivo quer dizer “subordinado, dependente”. E Ele, ainda que Deus, subordinou-Se ao Pai, fazendo-Se dependente Dele, conforme disse aqui na Terra: “Eu não posso de mim mesmo fazer coisa alguma; como ouço, assim julgo, e o meu juízo é justo, porque não busco a minha vontade, mas a vontade do Pai, que me enviou” (Jo 5:30).

O modo subjuntivo também é chamado de Conjuntivo, isto é, “que junta”, “que une”. Desde o Princípio o VERBO agiu em conjunto com o Pai e já mostrava que, no futuro, também seria Dele a missão de unir a Criatura ao Criador: “Deus estava em Cristo, reconciliando Consigo o Mundo” (2 Co 5:19).

E O VERBO ESTAVA COM DEUS (Jo 1:1)
No Livro de Gênesis, quando lemos o relato da Criação do Ser Humano, Deus diz: “FAÇAMOS o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança” (Gn 1:26). Se Deus estivesse sozinho, “O VERBO” não estaria no plural.

E O VERBO ERA DEUS!
Ao propor a Alguém criar em conjunto um ser semelhante, Deus não conversou com um Anjo, mas com Alguém semelhante a Ele. Deus não conversou com outro “deus”. Acreditar que “O VERBO” é um outro deus, indefinido e menor, seria chamar Deus de mentiroso, porque Ele mesmo afirma que não há outro deus, conforme lemos na Sua Palavra:
“Vede agora que Eu, EU SOU, e não há outro deus além de mim” (Dt 32:39).
“Não vos assombreis, nem temais; porventura não vo-lo declarei há muito tempo, e não vo-lo anunciei? Vós sois as minhas testemunhas! Acaso há outro Deus além de mim? Não! Não há outra Rocha. Não conheço nenhuma” (Is 44:8).
“Quem mostrou isso desde a Antiguidade? Quem, de há muito, o anunciou? Porventura não sou Eu, o Senhor? Pois não há outro Deus senão Eu. Deus justo e Salvador não há além de mim” (Is 45:21).
“Todavia, EU SOU o Senhor teu Deus desde a terra do Egito; portanto não conhecerás outro deus além de mim, porque não há Salvador senão Eu” (Os 13:4).

Um dia Jesus, falando de Seu passado, disse que Abraão O viu e se alegrou sobremaneira. Os ouvintes zombaram: “Ainda não tens cinquenta anos e viste Abraão?”. De fato, Jesus aparentava ser muito novo para ter sido visto por Abraão, que deveria ter, pelo menos, dois mil anos de idade! Mas, para espanto de todos, Jesus disse que era muito mais velho do que Abraão:
“Antes que Abraão existisse, EU SOU” (Êx 3:14).
Os ouvintes queriam apedrejá-Lo por blasfêmia, porque Ele disse ser o VERBO.

DEUS É ÚNICO E SALVADOR!
Jesus disse: “Eu e o Pai somos um” (Jo 10:30). Lembre-se que YeHoSHua, nome hebraico de JESUS significa DEUS SALVA ou DEUS SALVADOR!

Na véspera da Sua morte, Jesus declarou:
“EU SOU o Caminho, a Verdade e a Vida. E ninguém VEM ao Pai, senão por mim” (Jo 14:6).
Se Deus fosse outra pessoa, Jesus teria dito: “Ninguém vai ao Pai”. Este “VEM” do Senhor Jesus é do verbo “vir” e não do verbo “ir”. Exemplo: VEM AQUI.

Quando, então, o discípulo Felipe Lhe pediu que mostrasse o Pai, Jesus disse: “Há tanto tempo que estou convosco, e ainda não me conheces, Felipe? Quem me viu a mim, viu o Pai; como dizes tu: Mostra-nos o Pai? Não crês tu que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo, não as digo por mim mesmo; mas o Pai, que permanece em mim, é que faz as suas obras. Crede-me que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim; crede ao menos por causa das mesmas obras” (Jo 14:9-11).

O SENHOR disse que a Humanidade deve honrar “O VERBO - YHVH” como Deus. Ele mesmo disse: “Para que todos honrem o Filho, assim como honram o Pai. Quem não honra o Filho, não honra o Pai que O enviou” (Jo 5:25).

Aquele que nunca mentiu, afirmou sagradamente, por doze vezes:

1- EU SOU o Pão da Vida (Jo 6:35)
2- EU SOU a Luz do Mundo (Jo 8:12)
3- EU SOU de Cima (Jo 8:23)
4- EU SOU Eterno (Jo 8:58)
5- EU SOU a Porta (Jo 10:9)
6- EU SOU o Bom Pastor (Jo 10:11)
7- EU SOU a Ressurreição e a Vida (Jo 11:25)
8- EU SOU o Caminho (Jo 14:6a)
9- EU SOU a Verdade (Jo 14:6b)
10- EU SOU a Vida (Jo 14:6c)
11- EU SOU a Videira Verdadeira (Jo 15:1)
12- EU SOU JESUS (At 9:3)

A 12ª. definição, acima, foi dada pelo próprio Jesus ressuscitado a um perseguidor de cristãos que, convicto de que prestava um serviço para Deus, arrastava homens, mulheres e até crianças para a prisão: seu nome era Saulo, fariseu zeloso, criado aos pés de Gamaliel, um rabi tão sábio, que atraía multidões para ouvi-lo. Jesus, já glorificado, apareceu para Saulo e o colocou por terra; Saulo, envolvido por Luz que lhe cegou os olhos por três dias, perguntou: “Quem és tu?”. E ouviu a resposta: YHVH YeHoSHua, que traduzido quer dizer EU SOU O DEUS QUE SALVA!

Por isso que o judeu Saulo se converteu e, de perseguidor, passou a ser perseguido por pregar a Verdade e a Vida. Tem tanta certeza de que Jesus é Deus e Salvador, que anunciava:

“Jesus morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras e, sepultado, ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras, e foi visto por Cefas, e depois pelos doze. Depois, foi visto, uma vez, por mais de quinhentos irmãos, dois quais vive ainda a maior parte, mas alguns já dormem também. Depois foi visto por Tiago, depois por todos os apóstolos e, por derradeiro de todos, me apareceu também a mim, como a um abortivo. Porque eu sou o menor dos apóstolos, que não sou digno de ser chamado apóstolo, pois que persegui a igreja de Deus.” (I Co 15:3-9).

Saulo, o judeu, prega que a Igreja de YeHoSHua é a Igreja de Deus! Por causa da sua fé, morrerá decapitado em Roma! Fosse JESUS uma mentira, Saulo daria a vida por uma fraude? Pelo contrário, creu que depois da morte, receberia a coroa da Justiça das mãos do SENHOR, seu Justo Juiz (II Tm 4:8).

Tempos depois, JESUS apareceu ressuscitado e glorificado também para João, já velho, e disse:

“EU SOU o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim, diz o SENHOR, que é, que era, e que há de vir, o TODO-PODEROSO” (Ap 1:8). Alguma dúvida?

Antes da cruz, JESUS profetizou que a maneira de as pessoas saberem disso seria através da Sua morte:

“Quando tiverdes levantado o Filho do Homem, então conhecereis que EU SOU e que nada faço de mim mesmo. Mas como o Pai me ensinou, assim falo. E Aquele que me enviou está comigo; não me tem deixado só, porque sempre faço o que lhe agrada.”

QUANDO TIVERDES LEVANTADO O FILHO DO HOMEM...
Jesus fala de maneira cifrada que os homens O levantarão, isto é, O suspenderão na cruz, e que isto é do agrado do Pai, conforme estava profetizado setecentos anos antes por Isaías: “Todavia, ao SENHOR agradou moê-lo, fazendo-o enfermar. Quando Ele se puser como oferta pelo pecado, verá a sua posteridade, prolongará os seus dias, e a vontade do Senhor prosperará nas suas mãos. Ele verá o fruto do trabalho da sua alma e ficará satisfeito. Com o seu conhecimento o meu servo, o Justo, justificará a muitos, e as iniquidades deles levará sobre Si. Pelo que Lhe darei o seu quinhão com os grandes e com os poderosos repartirá Ele o despojo; porquanto derramou a sua alma até a morte e foi contado com os transgressores. Mas Ele levou sobre si o pecado de muitos, e pelos transgressores intercedeu” (Is 53:10-12).

... ENTÃO CONHECEREIS QUE EU SOU.
É através do próprio sacrifício e da Sua prodigiosa Ressurreição que todos conhecerão que Ele é YHVH – EU SOU O QUE SOU (Êx 3:14).

Aquele que é de cima desceu à Terra, ofereceu-Se no lugar dos pecadores, morreu pelas nossas transgressões, ressuscitou dos mortos e subiu novamente ao Céu. É a Sua morte na cruz e ressurreição que O revelam como EU SOU: O VERBO que reúne em Si mesmo os três tempos: o Passado, o Presente e o Futuro. “Aquele que era, que é, e que há de vir”.

O sacrifício de Jesus é a oferta de Deus para Si próprio. Fica fácil de entender, quando se crê que Ele é YHVH. Quem não crer nisso morrerá nos seus próprios pecados:

“Se não crerdes que EU SOU, morrereis em vossos pecados”. Em outras palavras: EU SOU O DEUS QUE SALVA!

Crê? Então, abra a sua boca e o seu coração, e receba-O agora como seu único, suficiente, exclusivo e eterno Salvador, e o seu nome será escrito no Livro da Vida do Cordeiro.
Procure uma comunidade verdadeiramente cristã, que não explora a fé e nem a ingenuidade das pessoas, e confirme a decisão que você tomou neste momento.
Batize-se nas águas, porque Ele disse: “Quem crer e for batizado, será salvo” (Mc 16:16). Note que primeiro a pessoa crê, depois se batiza.
Tome a Santa Ceia regularmente, porque também é ordem do Senhor (Lc 22:19) e persevere até o fim (Mt 24:13).

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Isso é um absurdo

Na Bahia, em um shopping, uma transexual denunciou a um grupo gay da região(GGB), que estava sendo impedida de usar o banheiro feminino do shopping ao qual ela trabalha, e que inclusive, as mulheres do local, se reuniram e fizeram um abaixo assinado para que a tal travesti fosse impedida de entrar no banheiro devido ao constrangimento que isso ocasionava. Para o ativista transexual, Fernando Gabriel, 26, faltou “discernimento às funcionárias”.

“Elas precisam entender que uma transexual feminina também tem a identidade de gênero de uma mulher. Apenas nasceu em um corpo que não condiz com a sua cabeça. Ela é uma mulher e tem o direito de usar o banheiro. É absurdo [as funcionárias] acharem que podem ser vítimas de qualquer ato constrangedor. Seria como proibir as mulheres que são lésbicas de usar o banheiro, o que seria outro enorme absurdo”, declarou.

É um absurdo não por parte das funcionárias, as quais quero deixar aqui registrado meu total apoio ao direito delas de ter um banheiro só para elas, mas, pelo contrario, quero deixar minha total repulsa ao movimento gay e a esse rapaz que, ao meu ver, também é uma vítima, pois colocaram na cabeça dele que ele é um transexual feminino, e que tem a identidade de gênero de uma mulher. Isso que eles fazem é uma maldade sem limites, pois um homem que esta com claros problemas de identidade, pois o fato de alguem se achar Napoleão Bonapart, não quer dizer que ele seja, o mesmo declaro aos homens que se acham mulheres, acreditem, vocês não o são, apenas são homens vestidos de mulher, e o maximo que podem fazer é usar um disfarce, perucas, maquilagem, implantes, operação para arrancar um membro de seu corpo, e é só, nunca e jamais serão mulheres, e quanto ao fato de dizer que é o corpo não condiz com a cabeça, é o mesmo de dizer que Deus, o criador, o todo poderoso, é burro, que não sabe colocar um cérebro de mulher em um corpo de mulher ou vice- versa.

Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus.
Mateus 3:2

http://blogs.odia.ig.com.br/lgbt/2014/01/10/funcionarios-de-shopping-tentam-impedir-colega-transexual-de-usar-banheiro-feminino/