Quem sou eu

Minha foto

Numa busca interior, descobri em Cristo a unificação universal com o cosmo, assim como Jesus afirma ser ele e o pai um único ser(João 10.30), descobri que somos um tambem com o criador, alguns o chamam de "Arquiteto do universo", outros de "Mente criadora", eu prefiro chamar apenas de "Pai", pois o Genesis não diz que Deus parou para pensar no que ia fazer, e pelo que sei é isso que um arquiteto faz, ele pensa, planeja, calcula, mas Deus apenas disse e aconteceu como falou, creio no poder da palavra, e sei que mudanças poderosas podem ocorrer coforme o que você pronuncia, você pode ter uma vida de sucesso falando coisas boas ou uma vida penosa e sofredora falando palavras malditas, que tendemos a chamar de palavrões. Desejo poder iluminar sua vida com o que for postado nesse bloger, e que a paz do Senhor Jesus, que é a mais profunda a se desejar, superabunde em seu ser e dê o despertar cósmico de sua consciência que você tanto deseja

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

JESUS CRISTO E O DIA DO SENHOR


A questão do quarto mandamento (Exodo 20.08-11), não foi o papa ou a igreja romana que mudou o dia de descanso para o domingo, e sim o próprio Senhor Jesus,o autor dos dez mandamentos, pois segundo Marcos 16.09, foi nesse dia que ele ressuscitou. A ceia do Senhor e a reunião dos crentes era também no domingo(Atos 20.07).
A palavra é originária do latim dies Dominicus, que significa "dia do Senhor". Existe, nessa mesma acepção, em castelhano (Domingo), italiano (Domenica), francês (Dimanche) e em todas as línguas de origem latina.
Algumas ceitas, como o adventismo e o judaísmo, idolatram esse dia, tornando-o maior que o próprio Deus, pois Jesus disse que existem dois grandes mandamentos: o de amar a Deus acima de todas as coisas e o próximo como a sí mesmo(Mateus 22.37-39), e daí pergunto, onde está o sábado nesses dois mandamentos?
Santo Inácio de Antioquia (†107), mártir no Coliseu de Roma, bispo, dizia: “Aqueles que viviam segundo a ordem antiga das coisas voltaram-se para a nova esperança, não mais observando o Sábado, mas sim o dia do Senhor, no qual a nossa vida foi abençoada, por Ele e por sua morte” (Carta aos Magnésios. 9,1).
Justino (†165), mártir, escreveu: “Reunimo-nos todos no dia do sol, porque é o primeiro dia após o Sábado dos judeus, mas também o primeiro dia em que Deus, extraindo a matéria das trevas, criou o mundo e, neste mesmo dia, Jesus Cristo, nosso Salvador, ressuscitou dentre os mortos“ (Apologia 1,67).
Esses homens viveram na igreja primitiva, ou seja, ainda não havia a igreja romana, pois, a mesma foi fundada por Constantino em 321, então, acredito que devemos deixar de ser meninos e tornarmo-nos adultos(I Corintios 13.11).
A qustão é simples. O mandamento diz: “Seis dias trabalharás e no sétimo descansarás”, se você, como a maioria dos brasileiros, começa a trabalhar na segunda-feira, logo o sexto dia de trabalho será no sábado, tornando assim o domingo como o sétimo dia, sendo esse o de descanso, repouso e dedicação as coisas de Deus.
SHALON

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

A Fraude de Chico Xavier Comprovada

PADRE QUEVEDO PREVÊ O FIM DO MUNDO

O NOME DE DEUS


“O insondável que se pode sondar
Não é o verdadeiro insondável.
O inconcebível que se pode conceber
Não indica o inconcebível.”
Assim começa o poema de Lao Tsé, um pensador chinês do século V antes de Cristo, ou seja, não conheceu Jesus, nem o judaísmo, mas entendeu profundamente e em poucas palavras o que significa Deus.
Paulo, em sua epístola aos romanos, no capítulo onze, versículo trinta e três, concorda com o pensador ao afirmar que os juízos de Deus são insondáveis, e agora em pleno século XXI existe muitas pessoas se sentindo “donos de Deus”, como se ele pudesse ter algum dono, e exigem isso ou aquilo, e se esquecem que tudo é ou deve ser pela vontade de Deus.
Por mais que façamos definições a respeito de Deus, nunca poderemos chegar próximo ao que ele realmente é, por isso Jesus preferiu apenas de chama-lo de pai(Lc 10.22). Ao contrário de Moisés, que queria a todo o custo saber o nome do Deus que o mandava falar a faraó, e a resposta foi “Eu sou te enviou”(Ex 03.14).
Devido a isso fico triste quando vejo pessoas querendo taxar Deus disso ou aquilo. Por exemplo, podemos citar os Árabes com seu Alah, ou os testemunhas de Jeová, sendo que se esquecem que a pronuncia a tempos se perdeu, e o mais certo seria Yawé ou Jawé. Agora estão jogando por nossa goela a baixo que Jesus Cristo é na verdade Yeshuá Hamashia. Estive certa vez em um casamento e o pastor orou “em nome de Yeshuá Hamashia...amém”, o resultado foi o espanto de todos e alguns ainda exclamavam: “Tá amarrado Exú do mal”.
Resumindo, não importa o nome que se dê, ele é o pai, o criador, e o mantenedor de tudo, e, por isso devemos honra-lo e respeitá-lo. Basta saber que ele é, e que não há nenhum que se compare a ele.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

METEORO


Hoje, ao passar na padaria de um minimercado próxima de minha casa, um rapaz puxava um assunto com a senhora do balcão que me deixou a meditar. O mesmo mencionava sobre o meteoro que passou próximo da terra e que segundo ele tem outros vindo em nossa direção, mas que o governo não divulgava para não causar pânico na população.
Essa conversa foi sobre o meteoro que passou perto da terra na sexta dia quinze de fevereiro. A preocupação é normal, pois, segundo a ciência, foi um meteoro que destruiu os dinossauros. Mas, a preocupação exagerada pode ocasionar doenças mentais tais como neuroses ou outros traumas que especialistas chamam de fobias.
A bíblia, que é a palavra de Deus, nos deixa claro que  haverá meteoros do peso de um talento, que equivale hoje a aproximadamente sessenta quilos. Mas, não precisamos ficar com medo, pois Deus é quem controla tudo, e, segundo profecias bíblicas, ainda resta muito a acontecer, mas precisamos ficar atentos ao zelo espiritual, buscando a Deus em tempo e fora de tempo, ou seja, a todo momento.
SHALON

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

JESUS

"Colocam-me em oficinas e salões ao lado de inúmeras fotos de mulheres nuas, sorridentes e infelizes. Estou também em consultórios onde represento apenas um símbolo preso à parede já que ali pratricam tudo, menos cristianismo. Penduram-me em entidades de ensino onde "Cristãos" se envergonham de pronunciar meu nome, como se eu tivesse traído Judas Iscariotes e não ele a mim. Põem-me em clubes onde sou somente ornamentação. Estou perto de balcões onde à minha frente desfilam bêbados e vagabundos. Colocam-me em salas de cinema onde passam filmes pornograficos para o faturamento do dono que é "cristão". Expõem-me em associações onde eu apareço menos que todos. Penduram-me em templos que contrastam com minhas vestes. Põem-me em hospitais que não recebem seres que eu chamei de "meus pequeninos".
Estou em paredes e pescoços em vez de estar primeiro no coração"
Esse texto foi extraído do livro do padre Neimar de Barros intitulado "Assim voltamos do inferno".
O título original desse texto é "crucifixo", mas, com o imenso crescimento do protestantismo, preferi alterar para Jesus, pois tanto um como outro refletem o salvador, e poderíamos acrescentar os carros que dizem "A serviço do Senhor Jesus", mas o dono do veículo ao ver alguém na chuva passa e finge que não conhece, isso se não jogar lama na mesma. Está na hora de tirar Jesus, seja o nome, seja a cruz ou mesmo um crucifixo das paredes, e deixá-lo entrar e fazer morada em nossos corações, e ser cristão não só no nome mas principalmente na atitude.

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

o fim da hipocrisia

Vamos acabar com a hipocrisia
E aprender a dividir o pão
Viver com a verdade sem mentiras
Se resolver e esquecer a solidão
Varrer as ruas de toda maldade
Sonhar a cada instante
Esquecer a realidade
Construiremos uma nova realidade
Com igualdade e liberdade
Não vamos construir mais templos ricos
Deixar as crianças morrerem de fome
Se preocupar com o ouro e granito
Enquanto o mais próximo não come
O maior pecado cometemos todo o dia
O da inconveniência e da indecência
De fazer nada vezes nada...
Vamos decretar a revolução
E vamos dar terra a quem precisa
Sem se enganar com quem explora
A idéia da terra pela idéia do poder
A idéia da terra para alguém se eleger
Nos aposentaremos aos sessenta
Pois com cinquenta seremos vagabundos
Vagabundos no batente desde os quinze
Num país que é nossa pátria mãe gentil
Viva os deputados do congresso
E a exploração católica da pobreza
Viva a utopia mãe gentil
Viva o Brasil
A revolução da palavra
Pela palavra de Deus
A revolução do amor ao próximo
E do amor a Deus acima de todas as coisas.
Bem, essa é a letra da música da banda catedral, que eu tanto ouvi em minha adolescencia, mas, hoje em dia está tão atual que resolvi escrevê-la em meu blog, e, dessa forma dar minha pequena contribuição para um mundo melhor, onde cristãos sejam o que devem ser, ou seja, pequenos cristos.

domingo, 10 de fevereiro de 2013

A reforma da igreja de hoje


Lutero, em 1517, deu início ao que hoje chamamos de reforma protestante, após pendurar as 95 teses na porta da catedral de Witenberg, passado o tempo, muitas das propostas lançadas por ele ainda não atingiu o esperado, e a igreja continua a mesma mercenária de sempre, onde poucos têm muito e muitos têm pouco.
A igreja romana, por exemplo, possui um patrimônio inestimável, ou seja, ela possui mais de cem mil propriedades, sendo dois mil só na Itália, gostam de falar do salario dos pastores evangélicos, mas se esquecem de que o salário mais baixo de um funcionário do vaticano é de R$2200,00, podendo chegar até R$8500,00 além de casa e carro oficial. Só em ações, a igreja possuí R$8.120.000.000,00.
Já no meio protestante, fico indignado em ver o Edir Macedo usando, inclusive, depoimento de endemoniados, para menosprezar a obra do Valdomiro Santiago, só que ele se esquece que o diabo é mentiroso (João 8.34), e que Jesus não nos chamou para julgar ninguém (Mateus 7.01).
Creio que a reforma que precisamos fazer hoje é a reforma do amor (1 Coríntios 13.13), chega de construir templos ricos, deixar crianças morrendo de fome, se preocupar com ouro e granito, enquanto o mais próximo não come, o maior pecado cometemos todo o dia que é o da inconveniência e da indecência de fazer nada vezes nada.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

carnaval,eu vou???


Carnaval é uma festa que se originou na Grécia em meados dos anos 600 a 520 a.C.. Através dessa festa os gregos realizavam seus cultos em agradecimento aos deuses pela fertilidade do solo e pela produção. Passou a ser uma comemoração adotada pela Igreja Católica em 590 d.C..[1] É um período de festas regidas pelo ano lunar no cristianismo da Idade Média. O período do carnaval era marcado pelo "adeus à carne" ou do latim "carne vale" dando origem ao termo "carnaval". Durante o período do carnaval havia uma grande concentração de festejos populares. Cada cidade brincava a seu modo, de acordo com seus costumes. O carnaval moderno, feito de desfiles e fantasias, é produto da sociedade vitoriana do século XIX.[2] A cidade de Paris foi o principal modelo exportador da festa carnavalesca para o mundo. Cidades como Nice, Nova Orleans, Toronto e Rio de Janeiro se inspirariam no carnaval parisiense para implantar suas novas festas carnavalescas. Já o Rio de Janeiro criou e exportou o estilo de fazer carnaval com desfiles de escolas de samba para outras cidades do mundo, como São Paulo, Tóquio e Helsinque.
O carnaval do Rio de Janeiro está atualmente no Guinness Book como o maior carnaval do mundo, com um número estimado de 2 milhões de pessoas, por dia, nos blocos de rua da cidade.[3] Em 1995, o Guinness Book declarou o Galo da Madrugada, da cidade do Recife, como o maior bloco de carnaval do mundo.
Como se vê, não é costume bíblico o festejo do carnaval, uma vez que é uma festa dedicada aos deuses, e também a carne.Em Exôdo 20.01-05, Deus diz que é o único e condena o culto a qualquer outra divindade, além disso a carne é corrupta, e quem é de Cristo deve crucificar a carne (Galatas 05.24).
Em um site umbandista(http://www.cartapotiguar.com.br/2012/03/29/carnaval-e-candomble/), denota-se que a festa é um ritual de umbanda e que os cantos entoados são verdadeiros hinos a divindades de terreiros, lá ele cita Daniela Mércure, Carlinhos Brown e outros.
Os samba de enredo do carnaval do rio são verdadeiros cultos.Ano passado, a beija flôr, por exemplo, expôs que na casa de santo, tem um ritual de fé, e denota o poder que tem a magia do vodum e dos demônios (Orixás).
Não se esqueça que nessa época do ano se descobrem homossexuais, mulheres ficam grávidas sem saber quem é o pai, ou o pai que não assumi a criança por ter sido só uma euforia, aparecem novos viciados, ladrões e tarados. Claro que também existem pessoas que só querem se divertir ou ganhar algum trocado, mas acredito que não vale a pena, pois onde o momo, que é uma entidade feminina do sarcasmo, e era representada no cortejo de Baco, o deus do vinho e dos excessos, especialmente sexuais, reina, não vale a pena se divertir ou ter qualquer lucro, salvo em caso de passeios familiares, ou assistir a algum filme, ler algum bom livro, ou, se puder, faça o espiritual com sua família, ao invés de sair de casa para ver a moda, fique em casa orando, lendo a bíblia, adorando ao único que é digno de ser louvado, e eu garanto que sua quarta-feira não será de cinzas, e sim de festa e esperança.

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

O sonho de Deus é que sejamos livres


Platão, em o Banquete, nos conta uma alegoria, que é a alegoria da caverna, nela um homem passou a vida toda vivendo em uma caverna escura, acorrentado, sem nunca conhecer o mundo a sua volta, sabia que havia algo lá fora, mas nunca nem ele, nem seus amigos puderam ver o que era, pois ou estavam felizes por sua situação, ou por simples medo do que iriam encontrar lá. Um dia, ele tomou coragem, arrebentou as correntes, foi de encontro a luz, sentiu incomodo pois nunca antes seus olhos haviam saído do escuro, mas contemplou por fim o brilho do sol, a beleza das flores, o cheiro do campo, e viu quantas coisas maravilhosas havia desperdiçado durante toda a sua vida no meio daquela caverna. Ficou com pena de seus amigos, voltou a conta-los, mas por fim foi chamado de louco, torturado e morto por eles.
Assim como na historia de Platão, achamos que somos livres, achamos que somos felizes, mas só quando tomamos coragem de ir em direção á luz, que em nosso caso é Jesus, é que vemos o quanto estávamos perdendo com coisas sem valor, não tínhamos a menor ideia do perfume suave do evangelho, nem do doce sabor da palavra de Deus, mas quando experimentamos, tudo muda, se pois o filho, que é Jesus, o próprio Deus, nos libertou, verdadeiramente seremos livres(João 8.36).